quarta-feira, 24 de maio de 2017

«Autárquicas 2017» - PSD candidata advogado João Xavier à Câmara de Moimenta da Beira

O advogado João Xavier é o candidato do PSD à presidência da Câmara de Moimenta da Beira, assumindo como prioridade o combate à desertificação, caso seja eleito nas autárquicas de 01 de Outubro.

"A prioridade que me parece ser a mais importante de todas é o combate à desertificação, com a qual somos atingidos todos os dias, há vários anos. Portanto, pretendo tentar fixar as pessoas e os nossos jovens, que saem para ter formação e muito dificilmente regressam ao nosso concelho", sustentou.

Em declarações à Lusa, o advogado de 46 anos, que assume há oito anos a liderança da Junta de Freguesia de Cabaços, explicou que esta é a primeira vez que concorre à presidência da Câmara de Moimenta da Beira (distrito de Viseu).

"Decidi candidatar-me porque sou natural e residente no concelho. Esta é a minha terra e penso que tenho as características necessárias para o cargo, contando também com o apoio da família e dos amigos mais próximos para avançar com este projeto", justificou.

Sobre a sua equipa, João Xavier refere que ainda está a ser 'desenhada', tendo sido feitos, nos últimos dias, vários contactos, que estão a ter "resposta positiva".

"Gostaria ainda de deixar uma palavra para todos os moimentense e para o atual executivo, com quem venho trabalhando nos últimos oito anos em virtude de ser presidente de Junta de Cabaços, e por quem tenho estima e boas relações, de que tudo farei para que assim continue no futuro", concluiu.

Na corrida autárquica está também o atual presidente da Câmara de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira, que se recandidata a um terceiro mandato pelo PS.

Nas autárquicas de 2013, o PS foi o vencedor, conseguindo 61,82% dos votos e cinco mandatos.

A coligação do PSD/CDS-PP, com 28,59% dos votos, conquistou dois mandatos.

Fonte: Dn.pt

«Divulgação» - Caminhadas culturais, paisagísticas e gastronómicas em Moimenta da Beira

É um fim de semana pelas Terras do Demo (10 e 11 de junho). Dois dias com caminhadas, visitas a locais históricos e culturais, provas de espumante, gastronomia tradicional, leitura de poesia de Aquilino Ribeiro, mergulhos na praia fluvial de Vilar (para quem quiser), um sem-número de atividades que se vão desenrolar no riquíssimo espaço monumental e territorial do concelho de Moimenta da Beira. O evento, com inscrições abertas a número limitado de 28 pessoas, é organizado pela “Associação de Solidariedade Social de Arcozelo da Torre” (ARCA), Moimenta da Beira, em parceria com a “Sentir Património”, uma associação de Felgueiras dedicada à organização e promoção de atividades culturais.
Serão as caminhadas, a primeira no sábado, pela Serra de Leomil (27km), e a segunda no domingo, pela albufeira de Vilar (13km), que vão levar os caminheiros aos pontos maiores de interesse: torres eólicas pintadas por Joana de Vasconcelos e Vhils (as duas maiores obras de arte contemporânea do mundo, em altura); via romana; forno comunitário e igreja de Peravelha; capela do Penedo da Fonte Santa; planalto megalítico; zona histórica de Leomil; moinhos da Tia Antoninha; serra de Leomil; Terreiro das Freiras; albufeira e praia fluvial de Vilar; e igreja matriz de Vila da Rua.
O programa, que tem início às 9 horas de sábado, 10 de junho, com a concentração dos participantes marcada, 15 minutos antes, para um parque de estacionamento na vila de Leomil (coordenadas geográficas 40º 59’ 06.52” N / 7º 39’ 15.58” O), tem duas modalidades à escolha: 1) participação nas duas caminhadas, programa completo com refeições e dormida; 2) caminhadas em cada um dos dias, sem dormida. Mais informações pelos contactos telefónicos 935 825 440 ou 968 955 236.

Fonte: CMMB

quinta-feira, 18 de maio de 2017

«Evento» - Quase 300 atletas de 11 grupos de dança e ginástica desportiva brilharam no Sarau Desportivo

Foi uma tarde cheia de magia, cor e graciosidade. Um espetáculo que encantou, uma vez mais, a assistência nas bancadas do pavilhão municipal de Moimenta da Beira. Na oitava edição do Sarau Desportivo, realizada no domingo passado, 14 de maio, participaram 11 grupos de dança e ginástica desportiva. Ao todo, quase 300 atletas. Um êxito!
Dos onze grupos, sete eram do concelho de Moimenta da Beira: AMAI; Santa Casa da Misericórdia; Escola de Dança Arabesque; Cheerleaders do CDR; Zumba, da profª. Sara Fernandes; Zumba, da profª Liliana Cardoso e Dança Criativa.
Exteriores ao concelho foram os restantes quatro grupos: AEFD (Associação de Educação Física e Desporto), de S. Pedro do Sul; Dream Dance (Porto); Agrupamento de Escolas do Cerco (Porto); e o Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia.

Fonte: CMMB

«Desporto» - Jogos CDR


terça-feira, 16 de maio de 2017

«Divulgação» - Conselhos aos pais sobre a febre nos bebés: workshop na biblioteca

Este sábado de manhã, 20 de maio, na secção infantil da Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira, Isabel Salgueiro, enfermeira, vai aconselhar os pais sobre o que devem fazer quando há sinais de febre nos filhos bebés. As inscrições para o workshop (que tem início às 10h30) podem ser feitas através do e-mail: biblioteca@cm-moimenta.pt ou do contacto telefónico 254 520 080. Podem ainda ser formalizadas enviando (ou entregando) o cupão preenchido para Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, Terreiro das Freiras, 3620-352 Moimenta da Beira. No fim da formação há a oferta de um termómetro aos participantes inscritos.
“A febre é um problema comum nos bebés. Mal o termómetro indica mais de 37,5 graus, instala-se a apreensão. A criança pode até estar bem disposta, mas se a febre aparece, pais e restantes adultos já não sossegam. O aumento de temperatura é, decerto, um dos sintomas que mais preocupam pais e restantes cuidadores. Se tem dúvidas, venha tirá-las connosco”, lê-se no desdobrável informativo sobre o workshop de sábado.
Cupão para a inscrição em: http://www.cm-moimenta.pt/frontoffice/pages/1149
Fonte: CMMB

«Notícia» - Espumante ‘Terras do Demo’ premiado duas vezes em concurso mundial

São mais dois prémios conquistados pelo espumante ‘Terras do Demo’, um néctar dos deuses produzido pela Cooperativa Agrícola do Távora, em Moimenta da Beira. As distinções sucedem-se umas atrás das outras. Agora foram duas medalhas de prata obtidas no “Concurso Mundial de Bruxelas” que este ano se realizou em Valladolid, Espanha, de 5 a 7 deste mês de maio.
No certame, cujo júri internacional degustou e avaliou mais de nove mil vinhos provenientes de todo o mundo, os espumantes “Terras do Demo” (Malvasia Fina 2015 e Verdelho 2015, ambos brancos) conquistaram, cada um deles, uma medalha de prata. Outro “Terras do Demo”, mas Touriga Nacional (Olho de Perdiz, rosé 2015) ficou muito perto de alcançar a terceira ‘prata’. Obteve 83,12 pontos, quando precisava de atingir 84,9.
Recorde-se que o mesmo espumante Malvasia Fina 2015, branco também, já há um mês obteve uma outra distinção: o ‘Prémio Excelência’ no concurso “Uva de Ouro 2017”, entre mais de 600 vinhos à prova. Curiosamente, o “Olho de Perdiz”, rosé, mas de 2014, conquistou ‘ouro’ nas edições de 2015 e 2016 do concurso análogo de Bruxelas”. São prémios e prémios de enormíssimo reconhecimento da qualidade do “Terras do Demo”.
O “Concurso Mundial de Bruxelas”, que já vai na 24ª edição, escolhe degustadores de renome e reconhecida competência, provenientes de todas as regiões do mundo. Todos os jurados são profissionais, líderes de opinião e atores da economia mundial de vinho. Em 2015, o júri reuniu um painel de 320 provadores internacionais de 50 nacionalidades, uma diversidade que contribui para a singularidade do evento e para uma maior objetividade dos resultados.
Por outro lado, a organização investe fortemente no controlo (‘à posteriori’) das amostras premiadas. Análises complementares são realizadas regularmente sobre os vinhos que exibem o precioso emblema do ‘Concours Mondial de Bruxelles’. Estes controlos são realizados para garantirem ao consumidor uma satisfação plena através dos vinhos rotulados.
Sobre o premiado espumante “Terras do Demo” Malvasia Fina, pode dizer-se que é de aspeto límpido e com bolha fina e persistente. A vinificação ocorre em sistema de “bica aberta” com decantação e fermentação a baixas temperaturas controladas. A maturação e envelhecimento deste espumante ocorrem segundo uma evolução lenta, com arredondamento dos picos do frutado a partir dos 12 meses. Os aromas complexos acontecem na fase posterior de envelhecimento. É ideal para acompanhamento de mariscos, ostras, peixes, aves e carnes brancas.
O ‘Verdelho’ é produção nova. Uma aposta ganha da cooperativa que o produz. Um prémio que distingue este néctar, quase à nascença.

«Notícia» - Marcações e sinalética nova ao longo do “Caminho de São Torcato”

São quase oito quilómetros de extensão, entre muros e casario de pedra e uma paisagem verde de perder de vista. É o “Caminho de São Torcato”, um dos seis percursos pedestres do concelho de Moimenta da Beira, que acaba de receber sinalética nova, depois de terem sido feitos trabalhos de marcação ao longo do trilho. Tudo de acordo com o Regulamento da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal. A entidade promotora é a Câmara Municipal de Moimenta da Beira, em colaboração com as Juntas de Freguesia de Moimenta e Cabaços e da “Turi rotas”, uma marca ligada à promoção de percursos pedestres.

O “Caminho de São Torcato” (ou PR4), por razões religiosas, culturais e evidentemente turísticas, pretende dar a conhecer um dos antigos caminhos de romagem do concelho de Moimenta da Beira àquela que, nos finais da Idade Média, já era considerada uma das ermidas mais importantes da Diocese de Lamego, onde se faziam muitas e concorridas peregrinações.

Tendo como tema principal a peregrinação ao Santuário de São Torcato, o percurso oferece diversos pontos de interesse, quer no que respeita ao património edificado, quer do ponto de vista paisagístico.

Geograficamente reparte-se pelas localidades de Moimenta da Beira (ponto de partida no Terreiro das Freiras), Fornos e Cabaços (ponto de chegada o Santuário de S. Torcato).
Outras rotas/percursos que vão ser alvo de trabalhos de requalificação: Rota do Paiva (PR1); Rota do Megalítico (PR2); Rota do Távora (PR3); Rota do Penedo da Pena (PR5) e a Rota da Fonte Santa (PR6).

Mais fotos do percurso no site oficial do Município de Moimenta da Beira: http://www.cm-moimenta.pt/frontoffice/pages/1035?news_id=898

«Divulgação» - O primeiro livro de Diana Morais de Carvalho

Diana é o seu primeiro nome, mas é pelo apelido “Morais de Carvalho” que se apresenta como autora. Autora do primeiro livro que escreveu e publicou: “Todos iguais, poucos diferentes”, chancela da ‘Chiado Editora”, que será lançado este sábado, 20 de maio, a partir das 15h30, na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro, em Moimenta da Beira, concelho de onde é natural.

Diana nasceu na aldeia de Castelo, mas vive e trabalha na ilha de Malta. Adora viajar. É uma paixão. Já esteve à entrada da Área 51, a secreta base militar norte-americana sobre a qual há um rol imenso de teorias de conspiração que envolvem objetos voadores não identificados (OVNI’s); e já esteve também junto à fronteira da Faixa de Gaza, na Palestina.

Sobre “Todos iguais, poucos diferentes”, que tem prefácio de Jorge Cruz, músico, cantor, produtor e compositor que fundou o grupo “Diabo na Cruz”, diz a crítica que é um livro “incomum”, obra reflexiva, um personagem principal que não tem nome, mas é um homem adulto que vive sozinho. “Uma bela história”, testemunho de um leitor.

Transcreve-se aqui a ‘sinopse’ para abrir o ‘apetite’ à leitura: “Agora, neste preciso momento, esqueça o que está ao seu redor. Pare e sente-se comigo neste banco de jardim. Observe todas estas pessoas que correm, que sobrevivem, que morrem. Sinta o seu cheiro a desespero, veja a sua luta diária para pertencer à sociedade. Repare agora nos pormenores: a vizinha que me acolhe nos seus braços e me vem dizer um «olá», uma mulher que foge de mim por ter medo de se tornar num ser louco como eu e um gato que se esfrega nas minhas pernas. Venha, sente-se comigo no meu banco de jardim e no final poderá decidir se quer ser afinal como todos os outros, levantar-se e ir a correr atrás de todos nós, à procura de coisa nenhuma, ou se por outro lado prefere sentar-se neste banco e caminhar os seus próprios pensamentos. Sente-se, vou contar-lhe a minha estória, a minha loucura”.
Fonte: CMMB