quinta-feira, 29 de setembro de 2016

«Divulgação» - Feira de São Francisco 2016


«Divulgação» - Festas São Miguel 2016, Nagosa

(clique na imagem para ampliar)

«Notícias» - Governo e autarquias investem 46 milhões para requalificar escolas

A secretária de Estado Adjunta e da Educação e representantes de 23 municípios do Norte do país celebraram hoje, em Mondim de Basto, protocolos para requalificar 25 escolas, num investimento de cerca de 46 milhões de euros.
"Este é o culminar de um processo colaborativo enriquecedor que me deixa pessoalmente e ao Ministério da Educação muitíssimo satisfeitos", comentou Alexandra Leitão, no final da sessão oficial.
Segundo a secretária de Estado, os protocolos celebrados com os municípios são "a demonstração da possibilidade de colaborar ao nível nacional e ao nível local, por forma a melhorar as infraestruturas essenciais".
"Não há infraestruturas mais importantes num país que as escolas", assinalou ainda.
O investimento hoje anunciado, que comporta estabelecimentos de vários graus, do básico ao secundário, é comparticipado por fundos do atual quadro comunitário (Portugal 2020). No contexto nacional, estão previstas intervenções em escolas em mais de 70 municípios, com um investimento público de 200 milhões de euros.
Alexandra Leitão disse haver vontade da tutela no sentido de que as obras possam arrancar rapidamente, já em 2017, contribuindo "para a coesão territorial, numa parceira profícua com as autarquias, a bem dos cidadãos".
A propósito, elogiou a generosidade dos autarcas e a preocupação que evidenciam de "promoção da escola pública de qualidade e inclusiva".
"As escolas renovadas são o legado que vamos deixar ao futuro", comentou na sua intervenção, quando falava para vários presidentes de câmara e vereadores das regiões do Ave, Tâmega e Sousa e Trás-os-Montes.

Na sessão de hoje foram celebrados acordos com os municípios de Alfândega da Fé, Amarante, Baião, Carrazeda de Ansiães, Celorico de Basto, Fafe, Lamego, Miranda do Douro, Mirandela, Moimenta da Beira, Mogadouro, Mondim de Basto, Murça, Paços de Ferreira, Penafiel, Póvoa do Lanhoso, Torre de Moncorvo, Vieira do Minho, Vila Flor, Vila Nova de Famalicão, Vila Real, Vinhas e Vizela.
Fonte: noticias ao minuto

terça-feira, 27 de setembro de 2016

«Agricultura» -Armamar e Moimenta da Beira com quebra de 40% na produção de maçã

Os dois maiores produtores de maçã da região sofreram este ano uma quebra na ordem dos 40% na produção. Produtores afirmam que esta quebra resulta dos “problemas climatéricos”, no entanto as chuvas que se fizeram sentir recentemente “salvaram” a colheita deste ano.

“Este ano não houve inverno, precisamos há volta de 1000 horas de frio a começar a contar a partir do mês de novembro e o que aconteceu foi que tivemos o frio quase em março”, explicou ao VivaDouro José Maurício Fonseca, produtor de Armamar.

Sócio numa empresa familiar que produz cerca de 1200 toneladas de maçã anualmente e exporta praticamente toda a produção para Espanha, José Maurício Fonseca acredita que a quebra se vai situar nos 30%. A quebra não é superior devido ao facto de a maior produção da empresa ser a variedade Golden e a mais afetada é a Fuji, “é uma variedade tardia e que este ano sofreu bastante”, afirmou.

Também a região de Moimenta da Beira, teve este ano “uma quebra significativa”, que ronda os 45%, sendo “superior em algumas variedades”, explica João Silva, presidente da Cooperativa Agrícola do Távora, que fica sediada em Moimenta da Beira.

Na opinião de João Silva, as condições climatéricas estiveram na origem do problema, “a falta de frio na altura da floração e depois condições também muito acutilantes de chuva que impediu os crescimentos nalguns casos e noutros até provocou algumas doenças da fruta, tudo isto junto contribuiu para a quebra na produção”, afirmou o presidente da Cooperativa.

Miguel Vaz produz cerca de 8 mil toneladas de maçã anualmente e exporta para países como o Dubai, a Inglaterra, Angola e Guiné. Também o produtor de Moimenta da Beira sentiu uma quebra na produção este ano, “a chuva prejudicou imenso e agora o calor também acabou por prejudicar”, explicou ao VivaDouro.

Chuvas “salvam” colheita da maçã
Apesar da quebra na produção, as chuvas que caíram recentemente “salvaram” a colheita da maçã, trazendo cor e calibre ao fruto. Os últimos aguaceiros tinham sido no mês de maio.
“A chuva veio ajudar porque este ano praticamente ainda não tinha chovido e vai ter importância na qualidade final dos calibres”, revela José Maurício Fonseca.

Para João Silva, presidente da Cooperativa Agrícola do Távora, estas chuvas “foram ouro”. “Foi pena cair pouca, mas já caiu razoavelmente o que permitiu melhorar a qualidade das uvas, e também a qualidade e a cor das maçãs”.

Estas chuvas também vieram contribuir para a qualidade do fruto, “se não tivessem acontecido situações de chuva eu se calhar ia dizer que a qualidade ia ser um pouco inferior. Nós dependemos da natureza e a chuva é a alma disto tudo e neste momento as perspetivas são melhores”, afirmou José Maurício Fonseca.

 “Temos muito boa qualidade de fruta. As chuvas vieram ajudar, as maçãs ganharam um bocadinho de tamanho, vai aumentar o calibre e o preço está muito interessante o que quer dizer que a qualidade é muito boa”, completou Ricardo Tojal, produtor de maçã em Moimenta da Beira.

Devido a esta diminuição de produção, o preço do fruto quando for para o mercado é ligeiramente mais caro que em 2015, notícia que acaba por ser bem recebida pelos produtores, “vamos esperar uma melhoria nos preços porque doutra maneira vai ser complicado para o agricultor”, concluiu Miguel Vaz.
Fonte: VivaDouro

«Crime» - Detido por tráfico de estupefacientes

Militares do Núcleo de Investigação Criminal de Moimenta da Beira detiveram, ontem, dia 26 de setembro, em Ariz, um homem de 40 anos, por tráfico de estupefacientes.
A detenção ocorreu na sequência de diligências que culminaram com a apreensão de 191 doses de haxixe.
O detido foi hoje presente a tribunal.
Fonte: AliveFM

«Divulgação» - Concurso de fotografia dá prémios em dinheiro aos três primeiros classificados

Está aberto o concurso de fotografia “Olhares”, inserido no programa do 2º Festival “Serranias - Sabores e Tradições”, evento que terá lugar em Soutosa, Moimenta da Beira, no fim-de-semana de 5 e 6 de novembro. As melhores imagens, eleitas por um júri, serão premiadas. A primeira classificada com 250 euros; a segunda com 100; e a terceira com 50. Serão ainda atribuídas menções honrosas e todos os concorrentes receberão um certificado de participação. A entrega dos trabalhos já decorre desde o dia 11 de setembro e estende-se até 27 de outubro. O tema é livre, porém, o regulamento só aceita registos fotográficos feitos na zona geográfica do concelho de Moimenta da Beira.

O concurso pretende incentivar a criação fotográfica enquanto forma de expressão artística; divulgar a criatividade daqueles que gostam e dedicam tempo ao prazer de captar e fixar imagens; dar a conhecer a beleza captada pelo olhar; e sensibilizar através da imagem para a preservação do património natural, histórico, cultural. Eventuais esclarecimentos devem ser solicitados à organização através do e-mail: fotodemo2015@gmail.com

O primeiro festival “Serranias - Sabores e Tradições” realizou-se o ano passado nos dias 7 e 8 de novembro. Foi um evento de cultura multifacetada, com recriações de tradições e costumes locais, matança do porco que deu almoço e jantar/ceia, passeio pedestre, magusto, um espaço cultural marcado pela apresentação de um livro, feira rural, animação, música, colóquios de interesse regional sobre a castanha e o mel, feirinha de produtos regionais e o concurso de fotografia, como acontecerá na edição deste ano.
Fonte: CMMB

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

«Notícia» - Militares em exercício terrestre na Barragem de Vilar

A partir desta segunda-feira, 26 de Setembro, e até quinta, dia 29, forças militares da Brigada de Intervenção Rápida do Centro de Tropas de Operações Especiais vão realizar um exercício terrestre, sem execução de fogos reais, na zona da Barragem de Vilar, abrangendo as áreas dos concelhos de Moimenta da Beira e Sernancelhe.
Este exercício constará de movimentações das forças, quer apeadas quer com viaturas. Em todas as ações do exercício, garantem as chefias do Exército Português, “serão executadas rigorosas medidas de segurança no sentido da salvaguarda de pessoas e bens”.  
Fonte: CMMB

«Desporto» - Jogos CDR


sábado, 24 de setembro de 2016

«Desporto» - Moimenta Beira 0-0 (1-3 gp) União Madeira: Guerreiros do Demo só cairam na lotaria

O Moimenta da Beira foi este sábado eliminado da Taça de Portugal depois de perder apenas no desempate por grandes penalidades por 1-3 depois de um 0-0 no final dos 120 minutos.

O emblema agora treinado por Rui Cordeiro (fez a sua estreia) esteve muito perto de fazer história mas acabou por cair na 'lotaria' dos penáltis com o veterano e experiente guardião Nilson a defender 3 pontapés da marca dos 11 metros.

Num jogo muito equilibrado ficou na retina uma grande oportunidade aos 67' que Sorrilha acabou por falhar na cara de Nilson, sendo que mesmo em superioridade numérica, depois da expulsão de Marco Túlio no prolongamento, os azuis e brancos nunca conseguiram desatar o nó do empate.
No desempate das grandes penalidades Sorrilha, Eduardo e Herculano falharam para o Moimenta da Beira, já Tinoco, Nuno Viveiros e Carlos Manuel bateram Kevin e colocaram o União da Madeira na 

III eliminatória da Taça de Portugal.
Ficha de jogo:

Estádio Municipal Moimenta da Beira

Moimenta Beira: Kevin; Carreira, Sunday, Peixoto, Herculano, Dani (Luís Carlos, 114'); Ruizinho (Gonçalo Eduardo, 82'), André (João Soares, 101'); Kiko Sorrilha;
Suplentes não utilizados: Márcio, João Miguel, Miguel, Simão;
Treinador: Rui Cordeiro

União da Madeira: Nilson; Allef, Tiago Ferreira, Carlos Manuel, N'Sor (Porcellis, 83'); Hugo Firmino (Nuno Viveiros, 58'), Tinoco, Marco Túlio; Caminata, Rodrigo Henrique, Rafael Barbosa (Breitner, 95');
Suplentes não utilizados: Tony, Tiago Moreira, Jaime, Ryan;
Treinador: Filipe Rocha
Disciplina: Cartão amarelo a Marco Túlio (10' e 102'), Dani (71'), Eduardo (118'); Cartão vermelho por acumulação a Marco Túlio (102');

Fonte: DSport

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

«ExpoDemo 2016» - Rosto gigante na parede do auditório municipal

Semblante rugado, olhar fixo no vazio e o cariz áspero de uma vida de trabalho agreste. São as marcas do rosto imenso que Daniel Eime, artista urbano, deixou para a posteridade numa das paredes laterais do auditório municipal padre Bento da Guia, em Moimenta da Beira.
Utilizou a técnica de stencil, pintando o rosto no âmbito da programação geral da Expodemo - Mostra de Produtos, Atividades e Serviço da Região que decorreu em Moimenta da Beira de 16 a 18 de Setembro. Foi mais um ato de cultura do certame. 
Daneil Eime, após a graduação em Cenografia, começou a trabalhar nesta área, mas desde 2011 que tem vivido exclusivamente para a arte de rua e pintura. Aprendeu o ofício nas ruas com a idade de 16 anos, começando como graffiti, seguido pela experimentação em vários métodos de expressão artística, incluindo o uso de adesivos e cartazes, culminando com a exploração atual de stencil. Esta técnica tem sido o núcleo das suas obras desde 2008, estando presente em todas as pinturas que produziu desde essa data.
Sendo reconhecido pelos seus murais de grande escala e stencils muito detalhados, as obras de Daniel Eime retratam personagens intrigantes que lançam olhares enigmáticos, muitas vezes combinados com elementos abstratos. As suas obras aspiram a captar o brilho interno das suas personagens, com cada linha nos seus rostos que contam a história das suas próprias vidas.
Participou em vários festivais de arte de rua e em exposições individuais e coletivas em todo o mundo.
Fonte: CMMB