sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

«Reportagem» - Frio é bom para a produção de maçã

O frio extremo está a ser bom para os produtores de maçã da região de Viseu. Os produtores do Douro Sul dizem que as temperaturas baixas ajudam a cumprir ciclos produtivos e que a chuva na quantidade certa garante boas colheitas e de qualidade.
Fonte: sic.pt


video

«Divulgação» - Tradições orais gravadas em Alvite, Leomil e Segões disponíveis na internet

“A música portuguesa a gostar dela própria” é um trabalho de pesquisa feito por Tiago Pereira, em todo o território Português, que pode agora ser visualizado na internet. O projeto, que arrancou em 2011, pretende consciencializar os cidadãos para o conhecimento e importância de um património vivo e muitas vezes esquecido de tradição oral, cantigas, romances, contos, práticas sacro-profanas, músicas, danças e também gastronomia. Das muitas gravações disponíveis virtualmente, três foram feitas em Alvite (sobre o linguajar alvitano), em Leomil (cantiga) e em Segões (cantiga) e podem aqui ser visualizadas.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

«1ª Página» - Jornal Terras do Demo


«Mártir 2016» - Mártir S. Sebastião, festa na quinta e sexta-feira em Moimenta da Beira

Amanhã e depois (quinta e sexta-feira) há festejos em honra do Mártir S. Sebastião, em Moimenta da Beira. O dia grande é na sexta, com a festa litúrgica (missa seguida de procissão), mas na quinta-feira o programa das festividades já promete, em especial quando o cepo estiver a arder no largo da capela do Mártir e abrir a barraca de comes e bebes.

Programa
19 janeiro (quinta-feira)
07h00 – Alvorada de Morteiros
18h00 – Acender do cepo e abertura da barraca de comes e bebes
21h30 – Arraial com a “Banda Play”
24h00 – Grandiosa partida de fogo-de-artifício

20 janeiro (sexta-feira)
08h00 – Chegada da Banda Filarmónica de Tarouca e arruada pelas ruas da vila
10h00 – Hastear da bandeira
11h00 – Missa em honra do Mártir S. Sebastião seguida de procissão com andores e figuras bíblicas
15h00 – Atuação da Banda Filarmónica de Tarouca no recinto da festa
21h30 – Baile com o grupo musical “Inseparáveis”
24h00 – Encerramento das festas com partida de fogo-de-artifício


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

«Meteo» - Vem aí ainda mais frio a partir de quarta-feira

Os dados mais recentes mostram que o tempo estável e sem precipitação deverá continuar a marcar presença na região de Moimenta da Beira. No entanto, e segundo previsões da Ibermeteo, tal deve ser acompanhado por tempo frio, que deverá permanecer e acentuar-se ao longo dos próximos dias, em especial já a partir da madrugada desta quarta-feira, dia 18.

Assim, os valores de temperatura mínima, durante as madrugadas, irão ser inferiores a 0°C, podendo a partir de quarta-feira rondarem os -5°C, sendo que, em algumas zonas mais abrigadas, não será de excluir que se possam aproximar de -10°C. Como consequência, é esperada a formação de gelo/geada, em especial nos locais de vale/mais abrigados. De referir igualmente que, também a partir de quarta-feira, se espera que os valores de temperatura máxima sejam também bastante baixos. Até terça-feira os valores máximos podem ainda chegar aos 10°C a 12°C, mas a partir de quarta-feira deverão baixar, não devendo ultrapassar os 4°C a 6°C. Deste modo, nas zonas mais sombrias, abrigadas, viradas a norte e com pouca exposição solar, o gelo/geada que se deverá formar durante a noite pode permanecer durante todo o dia.

Tendo em conta o padrão que se espera, recomenda-se especial atenção para as consequências do tempo frio e formação de gelo/geada, em especial nas estradas, com consequentes efeitos nos riscos associados à condução.

Dado que a situação meteorológica de tempo frio pode ainda prolongar-se por alguns dias, aconselha-se a atenção de todos para a possibilidade de envio de informação adicional, caso tal se justifique.
Fonte: CMMB

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

«Notícia» - Associação quer levar à AR discussão sobre descargas poluentes no Rio Paiva

A S.O.S. Rio Paiva - Associação de Defesa do Vale do Paiva disse hoje que tem em curso uma petição para poder levar à Assembleia da República o tema das descargas poluentes de que o Rio Paiva tem sido alvo.

"Temos a previsão de alcançar as cinco mil assinaturas até março. Este foi o número que definimos por objetivo para levarmos este assunto à Assembleia da República", revelou o presidente da associação, Sérgio Caetano.
Em declarações à agência Lusa, Sérgio Caetano explicou que a petição arrancou em novembro de 2016 e que já tem mais de mil assinaturas, figurando cerca de 700 `online` e mais de 300 em papel.
"Queremos que o Governo saiba realmente o que se passa no Rio Paiva. Nos últimos seis anos têm-se registado várias denúncias, que mereceram algumas contraordenações, mas ainda há uma deficiente fiscalização e o problema continua a persistir", sustentou.
De acordo com Sérgio Caetano, a associação a que preside pretende também apresentar ao Governo "um conjunto de medidas a implementar para resolver o problema das descargas poluentes no Rio Paiva".
"Defendemos o reforço dos meios de fiscalização e do SEPNA, o redimensionamento das ETAR e análises da água nas zonas balneares e aos efluentes das ETAR realizadas em dias aleatórios", acrescentou.
A par disto, pretendem ainda o desenvolvimento de um projeto de estudo, monitorização e aperfeiçoamento da fiscalização e tratamento das águas residuais no vale do Paiva, com base na Diretiva Quadro da Água.
Castro Daire e Vila Nova de Paiva têm sido os concelhos com registo de descargas poluentes, que os autarcas garantem que têm vindo a tentar resolver.
O presidente da Câmara de Vila Nova de Paiva, José Morgado, recordou que, quando assumiu funções, em finais de 2009, encontrou "o Rio Paiva e os seus afluentes mortos", com "a ETAR principal a babar-se".
"Fizemos um investimento para requalificação e agora podemos dizer que o Rio Paiva está bom. Fazemos análises mensalmente, a montante e a jusante das ETAR, e todos os parâmetros definidos por lei são cumpridos", referiu.
No entanto, o autarca admitiu que "nem tudo se encontra a 100 por cento".
"Por isso, estamos a remodelar a ETAR principal e temos candidatadas três ETAR para os principais afluentes do Rio Paiva", informou.
Já o presidente da Câmara de Castro Daire, Fernando Carneiro, apontou que está tudo praticamente resolvido nesta matéria.
"Vamos ter uma nova ETAR que vem resolver o que ainda falta e que começará a ser construída dentro de pouco tempo. Vai levar 20 meses a sua construção, com a obra a ascender a seis milhões de euros", concluiu.
Com cerca de 110 quilómetros de extensão, o rio Paiva atravessa os concelhos de Viseu, Sátão, Vila Nova de Paiva, S. Pedro do Sul, Castro Daire, Moimenta da Beira, Sernancelhe, Cinfães, no distrito de Viseu; e Castelo de Paiva e Arouca no distrito de Aveiro.
O Rio Paiva é um dos mais bem conservados rios da Europa e um destino de eleição para os amantes do turismo de Natureza.
Fonte: RTP

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

«Notícia» - Moimenta da Beira aumenta exportações

A maioria dos municípios portugueses aumentou as exportações entre 2013 e 2015. A nível nacional, o volume de bens vendidos ao exterior cresceu 5,3%. Fique a saber como é que o seu município evoluiu nas vendas ao estrangeiro nesses três anos.

A maioria dos municípios portugueses reforçou a sua componente exportadora nos últimos três anos. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos ao período entre 2013 e 2015, houve 185 concelhos que melhoraram a sua performance na venda de bens ao exterior. As principais subidas foram registadas em municípios do interior. Monchique, Paredes de Coura e Moura foram os que mais aumentaram, em termos relativos, as suas exportações, no período que coincide com o actual mandato autárquico.

O concelho algarvio viu as exportações dispararem mais de 2.570%, passando de 173 mil euros em 2013 para 4,6 milhões em 2015. Paredes de Coura cresceu 603,7% e Moura avançou 352,7%. Estes cálculos excluem os municípios com vendas inferiores a um milhão de euros por ano, mas pode consultar todas as contas no mapa.

O Alentejo surge entre as regiões mais dinâmicas, com um crescimento de 4,2% em 2015 face a 2013. O Norte continua a ser o motor exportador do país, tendo crescido 12,3%. Já a Área Metropolitana de Lisboa viu o volume de vendas cair 5,4% no mesmo período, enquanto a do Porto cresce 9,9%.

Os dados das exportações de bens de 2015 são os mais recentes a serem disponibilizados pelo INE e foram divulgados no final do ano passado. A nível nacional, em 2015, as exportações cresceram 5,3% face ao ano anterior. Em 2016, a performance foi mais humilde: até Novembro, a variação acumulada do ano havia estagnado nos 0%. 

Para 2017, as empresas perspectivam um aumento das exportações de 5,3%.



Consultar mapa:

Fonte: Jornal de Negócios