quarta-feira, 30 de março de 2011

«Religião» - Obras na igreja de Cabaços

O Governo vai comparticipar em 60% as obras de requalificação da Igreja de Cabaços. O contrato de financiamento foi assinado esta quarta-feira, 30 de Março, na Junta de Freguesia da localidade entre o Governador Civil, Miguel Ginestal, e o pároco Manuel Abrunhosa, presidente da Comissão da Fabriqueira de Cabaços. Assistiram ao acto o presidente da autarquia, José Eduardo Ferreira, e da Junta de Freguesia, João de Deus Xavier. O povo também esteve presente.

O orçamento total da obra é de 27.500 euros e a comparticipação de 16.500. Os 11 mil euros que faltam “vamos ter que suportar nós”, explica o padre, esperançado no apoio que pode chegar da Câmara e da Junta.

“As dificuldades são muitas mas a obra há-de ser feita”, garantiu o presidente da autarquia, realçando que esta foi a primeira TNS (Trabalhos de Natureza Simples) assinada no concelho

“O dinheiro que aqui vai ser investido, sai do Orçamento de Estado, é dinheiro de todos nós, por isso, deve ser muito bem aplicado e gerido ”, sublinhou o Governador Civil.

“Espero que este tenha sido o primeiro de outros contratos que aqui serão assinados”, vaticinou o presidente da Junta de Freguesia.

Os trabalhos de requalificação vão incidir nos soalhos, no tecto da sacristia, nas portas, no corta-vento e em outras pequenas obras interiores.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Educação» - Moimenta bisa no Parlamento dos Jovens

O ano passado venceram a fase distrital entre todas as escolas do 2º e 3º ciclos do ensino básico. Este ano, os alunos de Moimenta da Beira voltaram a conquistar o ouro, agora entre todas as Secundárias, também do distrito. É o Parlamento dos Jovens, uma iniciativa institucional da Assembleia da República que visa educar os estudantes para a cidadania, estimulando o gosto pela participação cívica e política.

Mariana Nascimento, Rita Leitão, Beatriz Freixo e João Pedro Santos alcançaram a proeza esta terça-feira, 29 de Março, em Tarouca, local escolhido pela organização para a realização da fase distrital do Parlamento dos Jovens.

O projecto de recomendação dos alunos da Secundária de Moimenta, da Beira, sobre o tema “Que Futuro para a Educação em Portugal”, foi o mais votado e será o deles que representará o distrito de Viseu na fase nacional, a 30 e 31 de Maio, na Assembleia da República.

“A vitória, pelo segundo ano consecutivo, vem provar que o Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira forma exemplarmente para a cidadania os seus alunos”, sublinha o director do agrupamento, Alcides Sarmento.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Todo-o-Terreno» - Passeio TT Serra de Leomil a 10 de Abril

Celebrando a natureza florida e os dias maiores da Primavera acabada de chegar, realiza-se a 10 de Abril, o V Passeio Todo o Terreno Serra de Leomil.

O Passeio acontece desde 2007 e ao longo dos anos tem atraído a estas paragens mais amantes do desporto motorizado e cada vez mais espectadores e entusiastas da modalidade. Organizado pelo Clube Desportivo de Leomil, é apoiado pela autarquia de Moimenta da Beira e respectiva Junta de Freguesia, entidades a que se associa a Turismo do Douro.

A presença em média de cerca de 300 viaturas e 500 participantes, demonstram que a aposta do desporto motorizado aliado às potencialidades excepcionais que a Serra de Leomil oferece em termos de troços para a prática da modalidade, mas igualmente em matéria de paisagem - fértil em miradouros naturais, cursos de água, vegetação abundante, clareiras de sombra e recantos inexplorados – dinamizam de forma articulada e bem sucedida a oferta turística da Região duriense.
O Passeio TT Serra de Leomil é igualmente responsável pela taxa de ocupação hoteleira excepcional para a época que se regista no município e nos concelhos vizinhos e fomentador do produto estratégico Gastronomia e Vinhos, ao mobilizar os participantes e espectadores para a oferta de restauração da Região.

Programa
Domingo, 10 de Abril
08h00 – Abertura do Secretariado
08h30 – Concentração no Largo Dr Revés
09h00 – Rapar o Pote (pequeno-almoço)
09h00 - Inicio do Passeio
11h00 – Passagem na Albufeira do Vilar
12h00 - Almoço na Praia Fluvial de Granja do Tedo
16h00 – Mostra TT - Pista de Obstáculos
19h00 – Jantar no Hotel Verdeal e Entrega de Lembranças

Informações e Inscrições:
Judas 4X4 – Clube Desportivo de Leomil: Secção Motorizada
939778713
964403699
936560728

Fonte: noticiasdevilareal.com

terça-feira, 29 de março de 2011

«Divulgação» - Cocktail de espumante e maçã

Um cocktail que tem como base nuclear o espumante Terras do Demo e a maçã de Moimenta vai ser patenteado e pretende tornar-se numa marca forte do mercado de bebidas combináveis que aliam cores, sabores e tragos diversos.

Os ensaios para a sua criação começaram há um mês, mas o primeiro teste de mercado para a avaliação das características organolépticas aconteceu este sábado, 26 de Abril, no Bar Ar D’Rio, junto à albufeira do Távora, freguesia de Vilar, Moimenta da Beira.

Na degustação pública estiveram o presidente e vereadores da Câmara Municipal de Moimenta da Beira, dirigentes da Cooperativa Agrícola do Távora e da Escola Profissional Tecnológica e Agrária de Vila da Rua, parceiros efectivos deste projecto tutelado pelos proprietários do Bar Ar D’Rio e criado por Dalila Dias.

O processo de experimentação é moroso e requer muito rigor, prevendo-se por isso que o registo da patente (propriedade do Bar Ar D’ Rio) e o seu lançamento não ocorram no imediato.

O cocktail foi idealizado assente na abordagem endógena - razão pela qual a selecção dos ingredientes recaiu no espumante e na maçã - e na notoriedade que estes dois produtos de Moimenta já alcançaram no país e no estrangeiro, facto que facilita a sua afirmação no mercado.

Belém Cardia, professora do curso de Restauração e Hotelaria da Escola Profissional de Moimenta da Beira, coordena os ensaios e apura os paladares.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Desporto» - Futsal AF Viseu

A. F. Viseu
Seniores Masculinos Divisão de Honra


20ª Jornada (26/03)
Balsa Nova 4-1 Gigantes Mangualde
Inter Futsal 6-6 S. João Pesqueira
SM Orgens 3-6 A. Académica Viseu
SM Mouros 5-6 Gumirães
CB Moimenta Beira 4-1 Lamego FOOT
CB C. Daire 6-5 Armamar


Classificação
1º Gumirães 20 jogos - 52 Pontos
2º Inter Futsal 20 jogos - 43 Pontos
3º CB C. Daire 20 jogos - 41 Pontos
4º CB Moimenta Beira 20 jogos - 41 Pontos
5º CB S. João Pesqueira 20 jogos - 37 Pontos
6º Gigantes Mangualde 20 jogos - 30 Pontos
7º S. M. Mouros 20 jogos - 27 Pontos
8º A. Académica Viseu 20 jogos - 26 Pontos
9º Lamego FOOT 20 jogos - 20 Pontos
10º Armamar 20 jogos - 16 Pontos
11º SM Orgens 20 jogos - 7 Pontos
12º Balsa Nova 20 jogos - 7 Pontos


Proxima Jornada
21ª Jornada (02/04)
Balsa Nova - Armamar 17 horas
Gigantes Mangualde - Inter Futsal 17 horas
S. João Pesqueira - SM Orgens 17 horas
A. Académica Viseu - SM Mouros 17 horas
Gumirães - CB Moimenta Beira 17 horas
Lamego FOOT - CB C. Daire 17 horas


---------------------------------------------------------------------------------------

A. F. Viseu

Campeonato Distrital de Iniciados

12ª Jornada (26/03)
Os Kappas 0-6 Gigantes Mangualde


Classificação
1º ABC Nelas 15 jogos - 45 Pontos
2º AJAB Tabuaço 15 jogos - 37 Pontos
3º CB S. João Pesqueira 15 jogos - 26 Pontos
4º Inter Futsal 15 jogos - 20 Pontos
5º Gigantes Mangualde 15 jogos - 18 Pontos
6º CB Viseu 15 jogos - 18 Pontos
7º Gumirães 15 jogos - 17 Pontos
8º SC Sever 15 jogos - 15 Pontos
9º Viseu Futsal 2001 15 jogos - 9 Pontos
10º Os Kappas 15 jogos - 8 Pontos


Proxima Jornada
16ª Jornada (03/04)
AJAB Tabuaço - ABC Nelas 11 horas
Os Kappas - Gumirães 11 horas
Gigantes Mangualde - CB Viseu 11 horas
Inter Futsal - S. João Pesqueira 11 horas
Viseu Futsal 2001 - SC Sever 11 horas

 
---------------------------------------------------------------------------------------



A. F. Viseu

Campeonato Distrital de Infantis

14ª Jornada (27/03)
Gumirães 1-8 Viseu Futsal 2001
ABC Nelas 4-8 AJAB Tabuaço
Gigantes Mangualde 2-6 CB Sernancelhe
SC Sever 2-5 Armamar


Classificação Final
1º Viseu Futsal 14 jogos - 36 Pontos
2º CB Sernancelhe 13 jogos - 29 Pontos
3º SC Sever 14 jogos - 28 Pontos
4º Armamar 13 jogos - 24 Pontos
5º ABC Nelas 14 jogos - 16 Pontos
6º AJAB Tabuaço 14 jogos - 15 Pontos
7º Gigantes Mangualde 14 jogos - 7 Pontos
8º Gumirães 14 jogos - 3 Pontos

Fonte: ViseuFutsal

segunda-feira, 28 de março de 2011

«Desporto» - Sarau Desportivo junta 300 atletas

Cerca de 300 atletas em representação de 10 organizações desportivas do distrito de Viseu participam, no próximo sábado à noite, 2 de Abril, no II Sarau Desportivo que terá lugar no pavilhão municipal de Moimenta da Beira. A entrada é livre e a iniciativa é da autarquia que, à semelhança do ano passado, prevê recinto com lotação esgotada.

O espectáculo, cheio de luz e cor, inclui ginástica acrobática, ginástica de grupo e de solo, trampolins e tumbling. E ainda danças Afro, Jazz, Ballet e Hip-Hop.

“Vai ser, seguramente, um belo momento desportivo”, vaticina Alexandra Marques, vereadora do Desporto.




Fonte: CM Moimenta da Beira

«Agricultura» - Feirinha foi um sucesso

Foi uma estreia auspiciosa. Um sucesso tal que uma hora e meia depois de abrir, já quase todas as bancas estavam vazias, com os 25 produtores saciados por terem vendido a maioria dos produtos frescos trazidos da hortinha de casa. Ovos, coelhos, mel e licores de sabores vários também se negociaram num ápice. “Se mais coelhos aqui tivesse, mais vendia”, desabafava António José Nunes Gomes, do Vilar.

A Feirinha da Terra, uma ideia posta em prática pelo presidente da autarquia, promete ter futuro assegurado. Tanto que o autarca já equaciona a possibilidade de a realizar semanalmente. Porém, José Eduardo Ferreira quer primeiro enraizá-la, fazer com que o evento se torne num hábito, numa rotina para quem vende e quem compra. “Só depois de atingirmos esse desiderato é que passaremos à periodicidade semanal”, sustenta o autarca.

Pelo Mercado Municipal de Moimenta da Beira, sempre animado por cantadores e tocadores de concertina, passaram este sábado de manhã, 26 de Março, centenas de pessoas. Dessas, pelo menos 96 fizeram compras, já que preencheram o talão que as candidatava ao sorteio. E cinco clientes seriam contemplados com vales de compra no valor de 10 euros para serem gastos na próxima feirinha de 9 de Abril. Os talões devem ser levantados na Câmara Municipal até dia 8 de Abril de 2011.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Desporto» - AF Viseu

Divisão de Honra

Fonte: ZeroZero.pt

quinta-feira, 24 de março de 2011

Jornal Beirão - «1ª Página» - 59ª Edição

(clique na imagem para ver com melhor resolução)

«Agricultura» - Feira vende produtos da horta

(É já este sábado, 26 de Março, entre as 9 e as 12h)

Cerca de duas dezenas de pequenos produtores do concelho, donos de pequenas hortas e quintais de cultivo para consumo próprio, vão poder passar a vender no mercado municipal de Moimenta da Beira, quinzenalmente, aos sábados de manhã, a partir de 26 de Março, todos esses produtos de lavoura caseira. Tudo a preços convidativos para o consumidor. A iniciativa é da autarquia e é inédita na região.

Vai chamar-se a “Feirinha da Terra” e pretende estimular o pequeno negócio de venda directa, uma forma de ajudar produtores primários e as suas famílias, e também os consumidores, por adquirirem produtos directos da hortinha, a bons preços.

No espaço da feirinha, além do melhor que a terra produz em horto frutícola, haverá ainda para venda: mel, ovos, frangos e coelhos vivos.

E enquanto a feira decorrer, das 9 às 12 horas, tocadores de concertina e cantadores de música de cariz tradicional animarão o ambiente do mercado municipal. “Queremos que haja cor e alegria”, explica o presidente da edilidade, José Eduardo Ferreira.

No fim do evento, os consumidores que se inscreveram, podem ainda ganhar o valor total das compras que fizeram. Um sorteio dos talões de compra apurará o vencedor do dia.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Arqueologia» - O «Marco dos Três Concelhos»: menir e/ou marco divisório

Situado na Lameira Longa (1) , em relevo pouco acidentado, o «Marco dos Três Concelhos» (2) poderá representar um antigo menir (3) que os tempos posteriores prezaram e recuperaram como marco divisório, de carácter administrativo, predial ou de pastoreio entre comunidades vizinhas.

Trata-se de um monólito granítico, de configuração subrectangular, com uma altura de 1,40 m acima do solo e um diâmetro de 1,05 m no topo e 1,30 m na base.

Fincado verticalmente no solo e talvez em posição original, apresenta evidentes vestígios de afeiçoamento que lhe dão um aspecto fálico, como é relativamente frequente nos menires. Testemunhando quiçá a sua (re)utilização em tempos modernos para demarcar limites administrativos e territoriais, foram gravadas dez cruzes aleatoriamente pela sua superfície, inclusive uma semelhante à da Ordem dos Templários (presentemente em estudo) e uma sequência de datas na zona mediana de um dos lados, de difícil leitura, parecendo-me, com as devidas reservas, ser: 1864   18...    18...    1829 (interpretação feita a partir da parte mais alta do monumento).

Apesar da cobertura vegetal da área impedir de momento trabalhos de prospecção mais pormenorizados, encontramos, a poucas dezenas de metros do lado Sudoeste deste monólito, outros sítios arqueológicos, nomeadamente duas mamoas (4), que, para além de ser comum aos menires localizados no Planalto da Nave, igualmente próximos de monumentos megalíticos (5), confirma-se também aqui uma das paisagens privilegiadas pelas comunidades pré-históricas para a implantação dos seus túmulos.


Para chegar ao monumento deve seguir-se, a partir da povoação de Vila Chã da Beira (concelho de Tarouca), pelo estradão que conduz ao Parque Eólico do Douro Sul recentemente implantado, num percurso sensivelmente próximo dos limites dos municípios de Tarouca, Armamar e Moimenta da Beira. O monólito fica a algumas dezenas de metros, numa chã levemente deprimida, do lado direito do caminho.


------------------------------------------------------------------------------------------
1-Trata-se de uma área planáltica que ronda os 900 m de altitude, parcialmente pertencente à freguesia de Sarzedo, no limite Noroeste do concelho de Moimenta da Beira.

2-Popularmente descrito como sendo o marco que delimita os municípios de Moimenta da Beira, Tarouca e Armamar.

3-Monólito de dimensões variáveis, com aspecto rude ou afeiçoado, por vezes, decorado, destinado a ser implantado verticalmente no solo. Trata-se de um monumento pré-histórico, inserido no fenómeno megalítico, não tumular. Constitui eventual local de culto, ritualização ou demarcação de territórios e pode aparecer isoladamente, agrupado em alinhamentos e cromeleques ou associado a outros monumentos megalíticos.

4-Designação popular do montículo artificial, composto por terra e/ou pedras, de forma mamilar, que tem fundamentalmente como funções o isolamento e a sustentação das estruturas funerárias, a ritualização e a monumentalização.

5-No território nacional, situam-se cronologicamente entre 4 500 e 2 500 anos antes de Cristo.



Publicado no Jornal Beirão em Fevereiro de 2011
Autor: José Carlos Santos

«Desporto» - Piscina acolhe 350 atletas

Vinte escolas de natação do distrito de Viseu e 348 atletas com idades compreendidas entre os 4 e os 14 anos, participam este sábado, 26 de Março, no 11º Torneio de Natação Professor Afonso Saldanha que terá lugar na piscina municipal de Moimenta da Beira, a partir das 14 horas.

O circuito, de vertente formativa e não competitiva, é anual e disputa-se sempre em três concelhos escolhidos pela organização. Este ano os municípios contemplados foram Armamar, Moimenta da Beira e Sernancelhe.

As provas vão desenrolar-se durante toda a tarde. No intervalo, cerca das 16h30, a autarquia fará entrega de pequenas lembranças às escolas participantes.

Fonte: CM Moimenta da Beira

quarta-feira, 23 de março de 2011

O relógio de Sol do solar dos Viscondes de Balsemão

Situa-se em Leomil, no solar setecentista dos Viscondes de Balsemão e trata-se de um exemplar interessante. O seu enquadramento num conjunto edificado amplamente rico de aspectos ornamentais, levou a que não fosse destacado como mereceria. Trata-se de um dos poucos exemplares ainda existentes em Portugal. Não abundam os relógios de Sol como este e o seu estado de decomposição não se coaduna com a sua importância.

O relógio de Sol não apareceu num determinado momento isolado da história como uma descoberta repentina e extraordinária. Ao invés, desenvolveu-se lentamente como consequência do estudo dos movimentos aparentes do Sol na esfera celeste. Desde tempos remotos que o homem percebeu que poderia aproveitar a sombra provocada nos objectos pelo Sol. Ao perceber que a posição do astro rei era variável no tempo, chegou à conclusão também que ao longo do dia o tamanho das sombras variava. A origem do relógio de Sol, porém, é controversa. Para uns, situa-se nas grandes civilizações como a Mesopotâmia, e até a Caldeia a Babilónia e a China. Para outros, as origens remontam ao monumento megalítico de Stonehenge, na Inglaterra, o qual, segundo estas hipóteses, deixa claro o objectivo de identificar as épocas do ano, havendo alinhamentos de pedras coincidentes com o nascer e pôr-do-sol no início do Verão e do Inverno. A própria Bíblia cita relógios de sol nos livros de Reis e Isaías, provando a antiguidade do invento.

Desde os tempos primitivos que a sombra foi usada para estimar as horas (sombras moventes). Mais tarde a inovação ocorre com a utilização de uma vareta fincada no chão na posição vertical, a qual permitia estimativas das horas em função da variabilidade das sombras em momentos distintos do dia. Estava criado o pai de todos os relógios de Sol, o famoso Gnômon. Mais tarde a medição do tempo orientou-se para o calendário, sobretudo na identificação das estações do ano, imprescindível para as civilizações que praticavam a agricultura, dependendo esta dos factores climáticos directamente ligados às estações. Com a natural evolução das sociedades o dia foi dividido em horas, sobretudo devido à necessidade de marcação das práticas religiosas e algumas actividades leigas.

A evolução da estimativa do tempo, bem como dos aparelhos que lhe serviram de suporte foi uma constante ao longo da História. Em termos físicos e técnicos, um relógio de Sol é constituído por um objecto de espessura desprezável (o gnómon), que, quando exposto ao Sol, projecta a sua sombra numa superfície onde se encontra marcada uma escala devidamente graduada que nos indica as horas. Por conseguinte, o funcionamento do relógio de Sol baseia-se nas diferentes orientações e comprimentos da sombra do gnómon ao longo do dia, sendo de ressalvar que o percurso aparente do Sol ao longo do dia não é igual em todos os dias do ano, sendo a posição da Terra em rotação um elemento fulcral. No Inverno, como se sabe, a altura do Sol é menor e os dias são mais curtos, acontecendo exactamente o contrário no Verão.

No século XVIII, quando foi fabricado o relógio de sol do solar dos Viscondes de Balsemão, já eram conhecidas as teorias de Tales de Mileto, Anaximandro de Mileto, Apolónio de Perga, Aristóteles, Aristarco, Eratóstenes, Hiparco, Ptolomeu, Marcus Philipus, Marcus Vitruvius, Nicolau Copérnico, Galileu Galilei, entre outros. Por ocasião da Renascença em meados do século XV, com a invenção da imprensa no Ocidente (porque na China já tinha sido inventada), a divulgação científica de um modo geral, e portanto, a construção de relógios de sol, conheceu um grande impulso. Eram trabalhos que exigiam, além de habilidade artística, conhecimentos sobre o movimento aparente do sol e eram até então segredos bem guardados. Talvez por isso foram publicadas várias obras sobre o assunto. O próprio aparecimento dos relógios mecânicos no século XVI não chegou a abalar a posição dos relógios de sol, pois eram máquinas pouco precisas e que requeriam frequentes acertos, o que se fazia com a leitura do meio-dia nas "meridianas", que eram quadrantes solares que indicavam exclusivamente o meio-dia local. No século XVII, a Gnomónica chegou a constituir um ramo da educação.

Por tudo o que se tem vindo a dizer, é de referir que era praticamente impossível que o solar dos viscondes de Balsemão não possuísse relógio de sol. Além de se enquadrar com perfeição no estilo do edifício e na época de construção, importa considerar o proprietário do solar, certamente aquele que mandou gizar o esqueleto compositivo do edifício e naturalmente o relógio de sol.

Luís Pinto Sousa Coutinho nasceu em Leomil em 1735 e faleceu em 1804. Foi o 1.º visconde de Balsemão. Teve um percurso notável. Começou a carreira política em 1769, como governador e capitão-general de Cuiabá e Mato Grosso, cargo que ocupou até 1772. Depois do exercício dessa função foi enviado para Londres como ministro plenipotenciário de Portugal, ali permanecendo entre 1774 e 1778. Foi ainda primeiro-ministro durante o reinado de D. Maria I, entre 1788 e 1801, e de Agosto a Dezembro de 1803. Foi eleito membro da Royal Society of London pelo que além de político era também um destacado membro da ciência. Na verdade, Luís Pinto de Sousa Coutinho cursou matemática na Universidade de Coimbra e aparece nomeado como físico. Sabe-se que nunca enveredou pela carreira científica. Porém, enquanto responsável pelo exército, onde também se destacou, incrementou os trabalhos geodésicos, devendo-se-lhe o avanço da cartografia através de inovações tecnocientíficas. Pela natureza da sua função sempre foi uma pessoa inteirada das inovações da sua época. A título de exemplo, enquanto embaixador em Inglaterra, o Estado ordenou-lhe que aí se fabricassem instrumentos astronómicos, náuticos, geodésicos, entre outros.

O relógio de Sol do solar dos Viscondes de Balsemão, destinado a medir o tempo e por ele já carcomido, não parece ter tido a função que outros exemplares semelhantes ocuparam noutras localidades, isto é, a regulação da divisão da rega entre os terrenos da aldeia. Neste caso, e por se situar numa das habitações mais ricas da povoação, propriedade da família mais proeminente a nível local e certamente mandado construir pelo físico-matemático, Luís Pinto de Sousa Coutinho, é mais provável que tenha servido apenas o interesse privado da família, não descurando a sua mais que provável função de elemento decorativo. A racionalidade científica, típica das luzes em que se enquadra, está consonante com a racionalidade geométrica presente em toda a casa, nomeadamente nos portais setecentistas armoriados de onde se vislumbra uma frase em latim que um tanto curiosamente menciona o astro-rei: “Esta família tem mais brilho que a própria luz do sol”.

Trata-se, como na grande maioria dos casos, de um modelo simples, em pedra, com elementos parcialmente destruídos, não se vislumbrando motivos de decoração vegetal. Situa-se num patim à ilharga do primeiro piso colateral ao primeiro plano da reentrância e sem dúvida que faz parte de um património de importância capital do concelho que deve ser preservado pela história e memória que encerra.

terça-feira, 22 de março de 2011

«Saúde» - Mantêm-se as críticas ao novo hospital de Lamego

Os eleitos na Assembleia Municipal de Lamego, norte do distrito de Viseu, reafirmaram hoje (22) a insatisfação com o modelo do novo hospital da cidade por prever apenas 30 camas para cuidados continuados.

José Carrapatoso, primeiro secretário da Assembleia Municipal, lembrou, durante uma visita às obras, que o modelo adotado responde a um conceito de proximidade mas “não responde a uma população de mais de 80 mil pessoas”. O autarca lembra que o hospital atual mantém uma ocupação de 100 por cento nas 45 camas de que dispõe e precisaria de mais.

Esta posição é também assumida pelo presidente da autarquia, que acompanhou os deputados municipais, Francisco Lopes, eleito pelo PSD, que, sublinhando a importância do investimento “para todo o Douro Sul”, aponta fragilidades, destacando a “incapacidade de garantir uma resposta suficiente para os doentes agudos”.

“Podemos dizer que o Hospital de Vila Real está a 15 minutos de Lamego, mas a verdade é que se um doente agudo vier de concelhos como Penedono ou Moimenta da Beira estamos perante toda uma outra realidade, que é a realidade do atual Hospital de Lamego”.

Este novo hospital de Lamego, que começou a ser construído há alguns meses, é uma reivindicação com décadas das populações do Douro Sul(constituído por 10 concelhos do norte do distrito de Viseu), mas o modelo adotado encontrou resistências, nomeadamente por não conter resposta para os doentes agudos, cuja abrangência passa para o de Vila Real.

Fonte: asbeiras.pt

segunda-feira, 21 de março de 2011

«Ambiente» - Câmara de Moimenta da Beira associa-se ao Dia da Árvore

Dois carvalhos de viveiro foram plantados, esta segunda-feira, 21 de Março, no recinto da Escola Secundária de Moimenta da Beira e outros tantos na Quinta do Ribeiro, onde está localizada a Escola Profissional. A iniciativa foi da autarquia, que quis assim assinalar, com brilho, o Dia Mundial da Árvore, juntamente com o Agrupamento de Escolas e a Fundação Rodrigues da Silveira.

Na Secundária a plantação dos carvalhos foi feita pelo presidente da edilidade, José Eduardo Ferreira, e presenciada por mais de uma centena de crianças que frequentam o 1º ciclo. E na Profissional pelo vice-presidente, Francisco Cardia, num acto testemunhado por dezenas de crianças do ensino pré-escolar e por professores da escola, que está a comemorar os 20 anos da sua criação.

“Plantarmos uma árvore, que há-de crescer e ficar bonita, é a melhor forma de celebrarmos a data”, sublinhou o presidente da autarquia.

Fonte: CM Moimenta da Beira

domingo, 20 de março de 2011

«Desporto» - AF Viseu

Divisão de Honra:





1a Divisão:

Fonte: ZeroZero.pt

«Desporto» - Futsal AF Viseu

A. F. Viseu
Seniores Masculinos Divisão de Honra


18ª Jornada (19/03)
Inter Futsal 3-2 Gumirães
CB Moimenta Beira 2-1 Armamar


Classificação
1º Gumirães 19 jogos - 49 Pontos
2º Inter Futsal 19 jogos - 42 Pontos
3º CB C. Daire 19 jogos - 38 Pontos
4º CB Moimenta Beira 19 jogos - 38 Pontos
5º CB S. João Pesqueira 19 jogos - 36 Pontos
6º Gigantes Mangualde 19 jogos - 30 Pontos
7º S. M. Mouros 19 jogos - 27 Pontos
8º A. Académica Viseu 19 jogos - 23 Pontos
9º Lamego FOOT 19 jogos - 20 Pontos
10º Armamar 19 jogos - 16 Pontos
11º SM Orgens 19 jogos - 7 Pontos
12º Balsa Nova 19 jogos - 4 Pontos



Proxima Jornada
20ª Jornada (26/03)
Balsa Nova - Gigantes Mangualde 17 horas
Inter Futsal - S. João Pesqueira 17 horas
SM Orgens - A. Académica Viseu 17 horas
SM Mouros - Gumirães 17 horas
CB Moimenta Beira - Lamego FOOT 17 horas
CB C. Daire - Armamar 17 horas


------------------------------------------------------------------------------------------

A. F. Viseu

Campeonato Distrital de Iniciados

15ª Jornada (20/03)
Gumirães - AJAB Tabuaço 12 horas
CB Viseu - Os Kappas 10 horas
S. João Pesqueira - Gigantes Mangualde 11 horas
SC Sever 2-2 Inter Futsal
ABC Nelas 12-4 Viseu Futsal 2001


Classificação
1º ABC Nelas 15 jogos - 45 Pontos
2º AJAB Tabuaço 14 jogos - 34 Pontos
3º CB S. João Pesqueira 13 jogos - 23 Pontos
4º Inter Futsal 15 jogos - 20 Pontos
5º Gumirães 14 jogos - 17 Pontos
6º CB Viseu 14 jogos - 15 Pontos
7º SC Sever 15 jogos - 15 Pontos
8º Gigantes Mangualde 13 jogos - 12 Pontos
9º Viseu Futsal 2001 15 jogos - 9 Pontos
10º Os Kappas 12 jogos - 8 Pontos


Proxima Jornada
16ª Jornada (03/04)
AJAB Tabuaço - ABC Nelas 11 horas
Os Kappas - Gumirães 11 horas
Gigantes Mangualde - CB Viseu 11 horas
Inter Futsal - S. João Pesqueira 11 horas
Viseu Futsal 2001 - SC Sever 11 horas




------------------------------------------------------------------------------------------


A. F. Viseu

Campeonato Distrital de Infantis


13ª Jornada (20/03)
AJAB Tabuaço - Gumirães 11 horas
CB Sernancelhe - ABC Nelas 11 horas
Armamar - Gigantes Mangualde 11 horas
Viseu Futsal 2001 6-4 SC Sever


Classificação
1º Viseu Futsal 13 jogos - 33 Pontos
2º SC Sever 13 jogos - 28 Pontos
3º CB Sernancelhe 11 jogos - 23 Pontos
4º Armamar 11 jogos - 18 Pontos
5º ABC Nelas 12 jogos - 16 Pontos
6º AJAB Tabuaço 12 jogos - 9 Pontos
7º Gigantes Mangualde 12 jogos - 7 Pontos
8º Gumirães 12 jogos - 3 Pontos


Proxima Jornada
14ª Jornada (27/03)
Gumirães - Viseu Futsal 2001 11 horas
ABC Nelas - AJAB Tabuaço 11 horas
Gigantes Mangualde - CB Sernancelhe 10 horas
SC Sever - Armamar 11 horas


Fonte: ViseuFutsal

quinta-feira, 17 de março de 2011

«Educação / Cultura» - Escola Profissional assinala 20 anos

Uma semana cultural repleta de actividades (21 a 26 de Março) comemora os 20 anos da Escola Profissional de Moimenta da Beira. A iniciativa abre com o Dia da Árvore, na segunda-feira, 21 de Março, e prossegue depois na terça-feira com o Dia da Protecção Civil, de manhã, marcado com acções de sensibilização em sala de aulas, palestras, simulacros, demonstrações das equipas cinotécnicas da GNR e mostras de equipamentos. À tarde há workshops de vinhos, de pastelaria, de manicure e maquilhagem.

Na quarta-feira, 23, de manhã, é o Dia do Desporto, com torneios de futebol, voleibol de praia, snooker, passeios BTT. Ao almoço servem-se pratos típicos de Cabo Verde e depois à tarde há jogos tradicionais e uma Noite de Fados.

Quinta e sexta-feira, 24 e 25 de Março, é o Dia da Escola Aberta, com visitas de escolas convidadas, mais workshops e passeios de bicicleta pela quinta.

No sábado, 26, à tarde, a semana encerra com o dia dedicado às comemorações dos 20 anos da escola. Há missa às 14h30 com o bispo da diocese D. Jacinto Botelho; sessão solene às 15h30; concerto com a orquestra de Moimenta da Beira, às 16h30, e lanche/convívio uma hora depois.

À margem da Semana Cultural, há ainda um outro dia, 31 de Março, com um colóquio às 9h00 sobre as “Potencialidades de desenvolvimento da nossa Terra”. O orador principal é Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Crianças e Jovens em Risco.

Fonte: CM Moimenta da Beira

quarta-feira, 16 de março de 2011

«Cultura» - Moimenta com artes e espectáculo

Nasceu em Moimenta da Beira uma associação das artes e do espectáculo. É a GIESTAS, que ambiciona transformar o concelho num pólo cultural dinâmico das diferentes áreas artísticas, desde a dança ao teatro, da música ao cinema, às exposições de pintura e mesmo à gastronomia. A sua apresentação oficial acontece já este sábado, 19 de Março, às 20h30, na Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro.

No espaço da estreia haverá um concerto de música erudita, por Marco Muralhas & Flor, declamações de poesia e outros momentos de um misto poético/teatral.

A associação, que a Câmara acompanha desde a génese, nasce também, explicam os directores, “para atrair e envolver pessoas do concelho nas diferentes actividades onde elas serão intervenientes”.

“Sendo a conquista de novos públicos fundamental para despertar o gosto por actividades culturais, ambicionamos estabelecer parcerias com as diversas instituições e concretizar projectos com um mesmo objectivo: contribuir para o desenvolvimento cultural local”, sublinham ainda os directores da GIESTAS, que já têm pensadas diferentes oficinas temáticas, “envolvendo pessoas das diferentes faixas etárias”.

“O nosso grande intuito é dinamizar eventos relacionados com o concelho de Moimenta da Beira”, rematam.


Fonte: CM Moimenta da Beira

«Sensibilização» - Campanha faz adoptar Cães

Vários cães do canil municipal de Moimenta da Beira foram adoptados na sequência de uma campanha de sensibilização destinada às crianças e jovens do concelho, levada a cabo pela autarquia em colaboração com o Agrupamento de Escolas de Moimenta da Beira. A acção, que incluiu um concurso de desenho/pintura para os alunos do pré-escolar ao segundo ciclo, teve início em Outubro de 2010.

A campanha tem como objectivo, além do acto de adoptar, de maneira a evitar a sobrelotação do canil e o recurso ao abate, “dar a oportunidade às crianças e jovens de mobilizarem práticas que respeitem os direitos dos animais, dos cães em particular, e de serem portadores desses valores e contribuir para a transformação da sociedade no domínio específico da problemática”, explicam o vice-presidente da autarquia, Francisco Cardia, e o médico veterinário municipal, José António da Costa Lopes.

No átrio dos Paços do Concelho estão expostos 44 desenhos/pinturas produzidos pelos alunos. Os dois primeiros classificados, por cada grau de ensino, serão conhecidos na próxima segunda-feira, 21 de Março. Depois, o conjunto dos seis distinguidos fará parte dos cartazes que serão afixados por todo o concelho.

Fonte: CM Moimenta da Beira

terça-feira, 15 de março de 2011

Jornal Terras do Demo - «1ª Página» - 292ª Edição

Mais uma "parceria" do blogue MNN. A partir desta data passaremos a publicar, tal como acontece com o Jornal Beirão, a primeira página Jornal Terras do Demo.

(clique na imagem para ver com melhor resolução)

segunda-feira, 14 de março de 2011

«Desporto» - Futsal AF Viseu

Seniores Masculinos Divisão de Honra


19ª Jornada (12/03)
Armamar 4-3 Gigantes Mangualde
S. João Pesqueira 6-3 Balsa Nova
A. Académica Viseu 2-7 Inter Futsal
Gumirães 7-0 SM Orgens
Lamego FOOT 6-4 SM Mouros
CB Moimenta Beira 2-3 CB C. Daire


Classificação
1º Gumirães 18 jogos - 49 Pontos
2º Inter Futsal 18 jogos - 39 Pontos
3º CB C. Daire 19 jogos - 38 Pontos
4º CB S. João Pesqueira 19 jogos - 36 Pontos
5º CB Moimenta Beira 18 jogos - 35 Pontos
6º Gigantes Mangualde 19 jogos - 30 Pontos
7º S. M. Mouros 19 jogos - 27 Pontos
8º A. Académica Viseu 19 jogos - 23 Pontos
9º Lamego FOOT 19 jogos - 20 Pontos
10º Armamar 18 jogos - 16 Pontos
11º SM Orgens 19 jogos - 7 Pontos
12º Balsa Nova 19 jogos - 4 Pontos


Proxima Jornada
20ª Jornada (26/03)
Balsa Nova - Gigantes Mangualde 17 horas
Inter Futsal - S. João Pesqueira 17 horas
SM Orgens - A. Académica Viseu 17 horas
SM Mouros - Gumirães 17 horas
CB Moimenta Beira - Lamego FOOT 17 horas
CB C. Daire - Armamar 17 horas


--------------------------------------------------------------------------------------------------

Campeonato Distrital de Iniciados
14ª Jornada (13/03)
AJAB Tabuaço 6-0 CB Viseu
Os Kappas - S. João Pesqueira 11 horas
Gigantes Mangualde 2-4 Inter Futsal
Viseu Futsal 2001 2-7 Gumirães
ABC Nelas 11-1 SC Sever


Classificação
1º ABC Nelas 14 jogos - 42 Pontos
2º AJAB Tabuaço 14 jogos - 34 Pontos
3º CB S. João Pesqueira 13 jogos - 23 Pontos
4º Inter Futsal 14 jogos - 19 Pontos
5º Gumirães 14 jogos - 17 Pontos
6º CB Viseu 14 jogos - 15 Pontos
7º SC Sever 14 jogos - 14 Pontos
8º Gigantes Mangualde 13 jogos - 12 Pontos
9º Viseu Futsal 2001 14 jogos - 9 Pontos
10º Os Kappas 12 jogos - 8 Pontos


Proxima Jornada
15ª Jornada (20/03)
Gumirães - AJAB Tabuaço 12 horas
CB Viseu - Os Kappas 10 horas
S. João Pesqueira - Gigantes Mangualde 11 horas
SC Sever - Inter Futsal (19/03) 10:30 horas
ABC Nelas - Viseu Futsal 2001 15 horas



--------------------------------------------------------------------------------------------------

Campeonato Distrital de Infantis



12ª Jornada (13/03)
Gumirães 1-13 CB Sernancelhe
ABC Nelas - Armamar 11:15 horas
Gigantes Mangualde - SC Sever 11:15 horas
AJAB Tabuaço 4-9 Viseu Futsal 2001


Classificação
1º Viseu Futsal 12 jogos - 30 Pontos
2º SC Sever 11 jogos - 25 Pontos
3º CB Sernancelhe 11 jogos - 23 Pontos
4º ABC Nelas 11 jogos - 16 Pontos
5º Armamar 10 jogos - 15 Pontos
6º AJAB Tabuaço 12 jogos - 9 Pontos
7º Gigantes Mangualde 11 jogos - 7 Pontos
8º Gumirães 12 jogos - 3 Pontos


Proxima Jornada
13ª Jornada (20/03)
AJAB Tabuaço - Gumirães 11 horas
CB Sernancelhe - ABC Nelas 11 horas
Armamar - Gigantes Mangualde 11 horas
Viseu Futsal 2001 - SC Sever 11 horas
 Fonte: futsalviseu

«Divulgação» - Feira de Educação, Formação, Qualificação e Emprego - Moimenta Oportuna 3‏

«Desporto» - AF Viseu

Divisão Honra:




1a Divisão:

Fonte: ZeroZero.pt

sábado, 12 de março de 2011

«Estatística» - Censos 2011 - Operação já arrancou em Moimenta da Beira

O Instituto Nacional de Estatística convida toda a população a participar activamente na realização dos Censos 2011 — o XV Recenseamento Geral da População e o V Recenseamento Geral da Habitação — e a responder com rigor aos seus questionários.

21 de Março é dia dos Censos 2011 (também chamado Momento Censitário). Nesse dia inicia-se o período de resposta, a ele devendo referir-se as informações a prestar.

Todos os alojamentos vão ser contactados pelos Recenseadores do INE, devidamente identificados e que, porta a porta, vão percorrer o país para entrega dos questionários em papel e dos códigos necessários para resposta pela Internet.

Pela primeira vez, em Portugal, vai poder responder aos Censos também pela Internet: é cómodo, é fácil e é seguro! Pode fazê-lo entre 21 de Março e 10 de Abril em www.censos2011.ine.pt.

Para o sucesso da operação é indispensável que cada um de nós reconheça a relevância da sua resposta e colabore com o recenseador!

Recorde-se que ao responder aos Censos está a exercer simultaneamente um direito e um dever de cidadania. Ao responder aos Censos, cada cidadão está a “contar” para a “fotografia” da população e do parque habitacional. Essa fotografia só terá qualidade se reflectir a realidade de todos e de cada um. Ao não responder, estará a impedir a nitidez e o rigor do retrato do país e das medidas que, a partir dele, vierem a ser tomadas.

Ao INE coube, ao longo dos últimos 5 anos, a responsabilidade de montar esta grande operação. A partir de 21 de Março o sucesso definitivo dos Censos 2011 passa a estar verdadeira e inquestionavelmente nas mãos de todos e de cada um!


Portugal conta connosco. Nós contamos consigo!
video

Fonte: INE

quinta-feira, 10 de março de 2011

Jornal Beirão - «1ª Página» - 58ª Edição

«Solidariedade» - Jovens promovem festa solidária

É a primeira “Moimenta Solidária”, evento festivo com objectivos solidários cuja receita reverterá a favor de instituições humanitárias do concelho de Moimenta da Beira. A organização é de um grupo de jovens do concelho atentos e sensíveis às causas nobres de todos os que servem de forma voluntária a filantrópica.

A festa acontece já este sábado, 12 de Março, com os comes e bebes a serem servidos a partir das 17 horas, no quartel dos Bombeiros Voluntários da vila. À noite, 21,30, lugar para a animação com três bandas (“Os Inseparáveis”, “SPA” e “Músicos Convidados”) e DJ’s. A entrada no recinto custa cinco euros.

“Como vamos fazer a festa nos bombeiros, será esta instituição que levará a maior fatia do valor da receita apurada. A ideia é no futuro descentralizarmos o evento por outras instituições humanitárias: a Artenave, a Arati ou outras”, diz Diogo Gomes, um dos jovens organizadores.

A “Moimenta Solidária” tem o apoio da Câmara Municipal, da Junta de Freguesia de Moimenta da Beira e de várias empresas da vila.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Desporto» - "Andebol" Portugal – Portugal brilhou com pavilhão cheio

Mais de duas mil pessoas lotaram o pavilhão municipal de Moimenta da Beira e aplaudiram, sem descanso, e muitas vezes de pé, a exibição da selecção de Portugal de andebol, em seniores masculinos, que ‘cilindrou’ esta quarta-feira, 9 de Março, a congénere da Ucrânia por 28-16. Foi mais um momento de altíssima competição que a autarquia voltou a superar com êxito pleno.

O acolhimento, perfeito, no jogo e em toda a estada de uma semana em Moimenta da Beira, foi aliás reconhecido unanimemente pela equipa técnica da formação portuguesa. “Impecável”, testemunhou logo após o confronto, o seleccionar nacional Mats Olsson.

As bancadas do pavilhão, meia hora antes do início do jogo, já estavam repletas de adeptos, muitos vindos de longe: Ovar, Castelo de Paiva, Maia e Matosinhos. “Viemos torcer pelas nossas cores”, desabafava à entrada do pavilhão um desses adeptos.

Mas a maioria da assistência era porém moimentense. E grande parte dela já familiarizada com os grandes jogos, geradores de ambientes fantásticos já disputados no pavilhão municipal.

“Já quase se tornou um hábito as gentes de Moimenta da Beira lidarem de forma irrepreensível com estes eventos causadores de uma imensa atmosfera mediática”, sublinhou o presidente da autarquia, José Eduardo Ferreira, convicto que a imagem do município e os seus produtos, como a maçã, os vinhos e o espumante, passou para o exterior muito positivamente.

Fonte: CM Moimenta da Beira

DE VEZ EM QUANDO !



O Discurso é uma Arma...

por António Bondoso a quinta-feira, 10 de Março de 2011 às 2:10

As palavras matam. E podem assassinar um regime. Um discurso pode ser uma arma que, mal analisada, mal interpretada, mal utilizada - pode dar um rumo às situações, muito diferente daquele imaginado. E o discurso de posse do PR , se não for rápida e eficazmente explicado, pode permitir "colagens" e aproveitamentos nada agradáveis para o presente e futuro próximo deste país agonizante. Omissões no diagnóstico, propositadas ou não; pouca clareza na prescrição dos remédios , não demonstra coragem. É ficar a meio do medo ! Quando fala em consenso alargado, por que razão não diz claramente que - na sua perspectiva - a melhor e imediata solução é o que se pode chamar de "governo de salvação nacional" !?

Apenas pelo simples facto de pensar que o Governo vai morrer de morte natural. Ou então... agonizar por influência da alta finança. E aí, os responsáveis serão outros. Desde logo o Governo e quem o apoia e, depois, o Fundo Europeu de Estabilidade ... antes do FMI. É isto que está a marcar a agenda política portuguesa, sabendo-se que as sondagens não permitem - ainda - uma solução de partido único do PSD.

Nem este partido nem o PR estão interessados em arcar com o ónus da queda deste governo Sócrates. Tem sido mau em muitos aspectos, mas tem resistido - à sua medida e à custa dos que menos podem - à maior crise internacional desde a II Guerra Mundial.

Evitar imediatos efeitos secundários que darão à nossa crise uma dimensão fora do comum - seria, por exemplo, o BE desisitir da sua Moção de Censura. Ou então, o PS e o Governo apresentarem rapidamente uma moção de confiança. Ou ainda... o Governo demitir-se !

E as consequências do que eventualmente poderá acontecer no dia 12, seriam muito menores. Cá estaremos para ver.

Não sei se os "brandos costumes" poderão ser suficientes para impedir uma explosão maior do que a da Grécia.

E que não se caia na tentação de enviar para as ruas o Corpo de Intervenção - da PSP ou da GNR. Apesar das achas para a fogueira já lançadas, não se junte maior irresponsabilidade àquela já colocada na panela de pressão.

E que haja alguém que consiga "enquadrar" os jovens e não permita que eles possam ser instrumentalizados - uma tentação a que muitos não vão conseguir resistir. A manifestação é um direito e pacífica deve ser !

quarta-feira, 9 de março de 2011

«Emprego & Economia» - Insercol suspende investimento milionário por falta de pessoal para trabalhar

A Insercol, empresa do ramo da metalomecânica, com sede em Moimenta da Beira, distrito de Viseu, tem suspenso um investimento superior a 1,5 milhões de euros, porque não consegue encontrar pessoal para trabalhar.

“Crise” é palavra que João Guedes, sócio-gerente da Insercol, não aceita de bom grado, porque “trabalho não falta”, o que falta, segundo este empreendedor, “é gente para trabalhar”.

A Insercol é uma empresa de referência na área da metalomecânica, que se especializou no fornecimento de projetos, fabrico e entrega de estruturas e coberturas em aço com destaque para as de grande dimensão, de onde obtém um volume de negócios médio superior a quatro milhões de euros. Apesar do panorama de dificuldades na economia nacional, João Guedes e Luís Guedes, que gerem esta empresa criada em 1991, veem a faturação a subir, tendo no ano passado registado um crescimento de 30 por cento no volume de negócios e aumentado em mais de 20 por cento os recursos humanos.

João Guedes quer investir “pelo menos” 1,5 milhões de euros em tecnologia de ponta e não sabe como fazê-lo, por não encontrar disponível mão de obra que permita a garantia da rentabilidade do investimento, embora sublinhe que o alargamento das instalações está em curso.

“Quando me dizem que Portugal vive momentos dramáticos com um desemprego medonho, fico intrigado porque quem me dera ter gente para trabalhar e não encontro, mesmo pagando ordenados que, em média, ultrapassam os 1.100 euros”, lamenta João Guedes. Para ultrapassar este problema “de forma parcial”, João e Luís Guedes recorrem a subcontratações nas regiões do litoral, como Porto ou Aveiro. Dos funcionários que tem na sua fábrica, com mais de 80 mil metros quadrados, em Moimenta da Beira, 50 por cento são oriundos de fora da região.

Fonte: asbeiras.pt

«Desporto» - "Andebol" Portugal – Nota de Imprensa

1 - Jogo de andebol Portugal – Ucrânia

2 – Conferência de Imprensa

- Apenas para relembrar que se realiza hoje, 9 de Março de 2011, no pavilhão municipal de Moimenta da Beira, a partir das 20h25, o jogo de andebol entre as selecções seniores masculinas de Portugal e a Ucrânia. A partida, que será transmitida em directo pela RTP2, conta para a qualificação da fase final do Campeonato da Europa de Andebol 2012.

- Após o confronto, decorrerá a conferência de imprensa com as presenças do seleccionador nacional, Mats Olsson, e do presidente da Federação de Andebol de Portugal, Francisco Torrinha.


 
Mta da Beira, 9 de Março de 2011-03-09

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Arqueologia» - Os pombais, construções rurais

Autor: José Carlos Santos (clique para ampliar)

domingo, 6 de março de 2011

sábado, 5 de março de 2011

«Desporto» - "Andebol" Portugal – Selecção já treina no pavilhão

Chegaram a Moimenta da Beira esta quinta-feira, 3 de Março, à hora de almoço, e fizeram o primeiro treino ao fim da tarde, no pavilhão municipal. Uma hora e meia, com e sem bola, foi o bastante para os 17 atletas da selecção portuguesa de andebol, em seniores masculinos, desentorpecerem os músculos.

Daqui para a frente haverá treinos diários, de manhã e à tarde, até ao dia do jogo com a selecção ucraniana, quarta-feira, 9 de Março, às 20h25. O confronto, de qualificação para a fase final do Campeonato da Europa, terá transmissão directa pela RTP2 e é decisivo para as aspirações lusas, já que nos dois jogos já disputados, Portugal perdeu na Eslovénia (34-31) e consentiu um empate em casa diante da Polónia (27-27), ocupando o terceiro lugar com um ponto, menos quatro que a selecção polaca, que lidera a “poule”, e menos dois que a formação eslovena.

Depois do jogo de Moimenta da Beira, Portugal vai à Ucrânia (13 de Março) e encerra a fase de qualificação com a recepção à Eslovénia (8 de Junho) e com a deslocação à Polónia (11 ou 12 de Junho).
Dos 17 atletas convocados, seis são do FC Porto, cinco do Benfica, quatro do Sporting, um do ABC de Braga e outro do Belenenses.

Já estão à venda os bilhetes para o jogo de quarta-feira. Podem ser adquiridos no Posto de Turismo, na Biblioteca, nas piscinas e no próprio pavilhão municipal, onde no dia do confronto haverá um ponto de venda no exterior do edifício.

A autarquia vai aproveitar a presença da selecção lusa, para promover a modalidade o desporto através de campanhas e iniciativas direccionadas ao público moimentense envolvendo os jogadores portugueses, uma delas, dia 10, a partir das 10h30, na escola secundária, para contactos dos atletas com os alunos e uma sessão de autógrafos.

Fonte: CM Moimenta da Beira

quinta-feira, 3 de março de 2011

«3ª Idade» - Seniores animam baile de Carnaval

“A senhora dança?”, desafia José João. Maria Alice acede e lá vão os dois para o meio do salão. Abrem o baile e depressa outros pares se formam e se balanceiam ao ritmo dos acordes dos “Cordas Soltas”, primeiro, e depois do Grupo de Cavaquinhos da Universidade Sénior.

Uns dançam e outros assistem apenas, mas sempre muito animados. Ao todo, são duas centenas de seniores do concelho que participam no segundo Baile de Carnaval que a autarquia de Moimenta da Beira organiza no quartel dos Bombeiros Voluntários da vila.

Foi uma tarde diferente “que queremos repetir todos os anos”, afirmou o presidente da edilidade, José Eduardo Ferreira, que distribui no fim certificados de participação às instituições presentes e lembranças a todos os idosos.

O evento, que se realizou esta quarta-feira, 2 de Março, terminou com um lanche servido também no salão.

Fonte: CM Moimenta da Beira

quarta-feira, 2 de março de 2011

«Divulgação» - Montaria COUTO D'EL REI

"Decorreu no passado Sábado, na Serra de Leomil, a primeira montaria organizada pelo Couto d’El Rei. O concelho de Moimenta, a freguesia de Leomil em particular, recebeu a visita de centenas de pessoas oriundas de todo o país, tendo sido acolhidas pelo que de melhor existe nesta região: a nossa cultura, a nossa tradição, o nosso ambiente, a forma amistosa de receber quem nos visita…


Para o sucesso desta primeira montaria, foi imprescindível o apoio de diversas entidades, que desde a primeira hora quiseram associar-se à organização deste evento.

Desde logo, queremos agradecer à Câmara Municipal de Moimenta da Beira, nas pessoas do seu presidente, José Eduardo Ferreira, e da sua Vereadora da Acção Social, Alexandra Marques, pelo apoio logístico e pela organização do programa para os acompanhantes dos monteiros, assim como pela sua presença, dignificando o evento. Ao Sr. Manuel João e ao Sr.Carlos Alberto, os responsáveis pela visita aos locais históricos de Leomil.

Agradecemos igualmente à Junta de Freguesia de Leomil, na pessoa do seu presidente, António Macedo, pela disponibilização de duas viaturas para o transporte dos monteiros, pelo apoio logístico e também pela sua presença na montaria.

À Entidade Regional de Turismo do Douro, especialmente ao seu vice-presidente, José Agostinho Correia, que tem feito um trabalho notável na divulgação de eventos como este que promovem a região, neste caso a freguesia de Leomil e o concelho de Moimenta da Beira.

À SOMA, Sociedade Agro-Comercial de Maçã, nas pessoas de Adriano Tojal e António Tojal, que nos permitiu dar um sabor especial à espera que os monteiros fizeram na serra. Todos os participantes na montaria tiveram oportunidade de provar a maçã local, especialmente “embrulhada” para este evento. Esta empresa de Leomil abriu ainda as portas aos acompanhantes e promoveu-lhes uma excelente recepção nas suas instalações, onde foram guiados numa instrutiva visita.

À Cooperativa Agrícola do Távora, sobretudo ao presidente da direcção, João Silva, que ofereceu o magnífico espumante Terras do Demo para uma saborosa prova, no final da montaria, a muitos monteiros que desta forma contactaram pela primeira vez com este “soberbo” néctar.

À Caixa de Crédito Agrícola Mútua, pela oferta parcial dos coletes reflectores; à Codemo por disponibilizar viaturas para a organização, à Farmácia César e à Padaria de Leomil, que nos presenteou com uma bola muito apreciada.

O Couto d’El Rei agradece ainda a presença de todos os monteiros. Estiveram presentes neste evento, entre monteiros, acompanhantes, amigos e interessados cerca de 250 pessoas, número bastante elevado e que excedeu as expectativas da organização.


Morreram 8 javalis e deram-se 78 tiros.


Por último, e porque é apanágio do Couto d’El Rei fazer sempre melhor, solicitamos críticas construtivas ao que esteve bem e ao que não esteve tão bem de modo a poder melhorar as edições futuras da montaria.


O nosso bem-haja.
"
 















(Clique nas Fotos para ampliar)

Texto e Fotos: COUTO D'EL REI

«Agricultura» - Nutricionista elogia maçã de Moimenta

A propósito da crise financeira que afecta as famílias, obrigadas por isso a cortes nos gastos com a alimentação, a nutricionista de Coimbra, Ana Carvalhas, elogia a maçã de Moimenta da Beira e aconselha-a numa ementa de bons hábitos alimentares e de uma mais-valia custo-benefício. Escreve assim: “Quanto às frutas, as de origem nacional são normalmente mais baratas e de boa qualidade. Pessoalmente privilegio o que é nosso. As maçãs de Moimenta da Beira, por exemplo, que se vendem já em sacos são tão saborosas quanto baratas, batendo as maçãs francesas ou italianas mais vistosas”.

Diz a nitricionaista que “a crise económica que estamos a atravessar, associada a altos índices de desemprego, redução de salários e aumento dos preços dos bens essenciais, tem levado inúmeras famílias a cortar nas despesas com alimentação. Este facto que, à primeira vista, é um problema grave, pois comer é uma das mais básicas necessidades humanas, pode ser aproveitado de uma forma inteligente para dar uma volta nos (maus) hábitos alimentares instalados em muitas casas. É interessante notar que a palavra "crise" se escreve em chinês combinando dois caracteres: «perigo» e «oportunidade», ou seja, os momentos caóticos e perigosos podem ser, afinal, oportunidades de renovação”.

Fonte: CM Moimenta da Beira

«Municipio» - Nova edição da revista municipal já está na rua

A maqueta a três dimensões do futuro Centro Escolar de Moimenta da Beira, um investimento de quatro milhões de euros, faz a capa da “Alcançar nº 4”, a revista municipal da autarquia que acaba de sair. São quarenta páginas com a informação mais relevante que aconteceu no município no último trimestre de 2010 e Janeiro de 2011, que podem ser lidas no sítio www.cm-moimenta.pt

Com chamadas à capa há ainda dois temas: a “Queima do Velho”, tradição que se reviveu com fulgor no último dia de 2010; e as freguesias de Caria e Castelo, com a história de ambas e ainda as entrevistas aos dois autarcas.

Há também a estreia de uma secção: “Obras Municipais”, um espaço onde se dá conta do trabalho que a autarquia desenvolve em todo o concelho.

De resto, pode ainda ler-se na Alcançar, entre outras notícias, as festas de Santo Antão; a homenagem ao escritor Neo-Realista da Vila da Rua, Afonso Ribeiro; a empresa e a instituição em foco: “Insercol” e “Casa do Povo de Leomil; a celebração do Dia Mundial da Terceira Idade; um historiador e investigador do concelho que acumula prémios: Jaime Gouveia; e os espumantes Terras do Demo, que estão em alta.
(clique na imagem para obter melhor resolução)

Fonte: CM Moimenta da Beira

terça-feira, 1 de março de 2011

A Lei da Separação em Moimenta da Beira

O jornal bi-semanário viseense, Povo Beirão, fazia em 1913 um ponto da situação relativamente aos ganhos com 3 anos da recém implantada República, os quais eram: a democratíssima Constituição; a chefia do Estado entregue a um patriota; a repressão do analfabetismo com o ensino primário obrigatório, abertura de 460 escolas novas e criação de missões móveis; melhoria financeira notável; defesa nacional aumentada com o serviço militar obrigatório e um acréscimo no fabrico de armas; fomento colonial através de várias concessões comerciais e agrícolas, abertura de escolas, reorganização do exército e da marinha colonial; benefícios à agricultura através do policiamento dos campos e funcionamento de várias caixas agrícolas; protecção às classes operárias com o direito à greve, abolição da décima industrial, lei dos acidentes no trabalho, 8 horas de trabalho em alguns serviços; novos caminhos de ferro; garantias de filiação com a Lei da família; protecção à infância com a criação de tutórias e de muitas cantinas escolares; colocação de vários faróis nas costas de Portugal e das colónias; melhoria nos portos comerciais; garantias ao casamento através da Lei do divórcio; abertura de novas estações de correio; protecção à mulher através da sua colocação em repartições públicas; incitamento à economia particular; benefício aos inquilinos; garantias à propriedade com 141 aquartelamentos da Guarda Republicana com 3600 homens espalhados pelo país; turismo, através da criação de uma estação de propaganda e facilidades alfandegárias; progresso cívico popular com 186 comemorações anuais; abolição da pena de morte aos militares; e a libertação das consciências com a Lei da Separação. Portugal, como se vê, transfigurou-se. Muitas destas realizações foram continuadas, prevalecendo até aos dias de hoje, como foi o caso da lei da separação, sobre a qual me centrarei de seguida.

"A partir da publicação do presente decreto, com força de lei, a religião católica apostólica romana deixa de ser a religião do Estado e todas as igrejas ou confissões religiosas são igualmente autorizadas, como legítimas agremiações particulares, desde que não ofendam a moral pública nem os princípios do direito político português." Este trecho da Lei de 20 de Abril de 1911, que consagrava a separação das igrejas do Estado, resume bem o seu principal objectivo: a laicidade. Foi um produto do governo da República provisório de onde constavam os seguintes nomes: Joaquim Teófilo Braga, António José de Almeida, Afonso Costa, José Relvas, António Xavier Correia Barreto, Amaro de Azevedo Gomes, Bernardino Machado, Manuel de Brito Camacho.

Com influências da legislação estrangeira, nomeadamente brasileira e francesa, não deixava de se adaptar ao fenómeno português. Começava por reconhecer e garantir a plena liberdade de consciência a todos os cidadãos portugueses e estrangeiros residentes em Portugal (art.º 1.°), declarando em seguida que a religião católica deixava de ser a religião do Estado e que todas as igrejas ou confissões religiosas eram igualmente autorizadas (art.º 2.°). Sendo assim, o Estado deixava de subsidiar o culto católico, extinguia as côngruas impostas aos cidadãos, considerava livre o culto de qualquer religião, permitindo que as casas a isso destinadas tivessem a aparência de templo, não autorizava qualquer acto de culto fora das igrejas, perseguia os que tentassem impedir a livre prática religiosa ou ofender os clérigos e punia os que, pela violência ou ameaça, quisessem constranger alguém a praticar ou a não praticar actos de culto religioso. De seguida, a lei cometia os encargos com o culto e entregava os respectivos rendimentos (com descontos para a assistência pública) a corporações de assistência e beneficência existentes, tais como, misericórdias, confrarias, irmandades, etc. ou a associações que, para o efeito, viessem a constituir-se (associações cultuais), não podendo aquele realizar-se sem a sua existência. Os padres seriam inelegíveis para membros das juntas de paróquia e para as direcções, administrações ou gerências das próprias corporações ou associações cultuais. Todo o culto era livre, dentro de determinados horários, com restrições derivadas da manutenção da ordem pública e cometidas às autoridades civis (caso de procissões, toque de sinos, exibição de ornamentos e insígnias religiosas, etc.).

A Lei da Separação tinha um cunho profundamente revolucionário, porventura o mais revolucionário de toda a legislação republicana. Retirava ao clero o poder decisório e administrativo do culto, entregando-o aos cidadãos, corporativamente organizados, procurando, com isso, reduzir o papel clerical ao de mero executante de decisões de outrem. A Igreja Católica não ficava apenas empobrecida e nivelada com todos os demais corpos existentes no país. Ficava reduzida a uma situação de subserviência frente ao povo católico como jamais tivera no passado, pelo menos no passado português. Por outro lado, a lei assentava no princípio de que a propriedade dita eclesiástica era, na realidade, propriedade nacional posta ao serviço da Igreja, princípio igualmente revolucionário. Procurava-se, de facto, laicizar o Estado e abater, de uma vez por todas, o poderio eclesiástico.

Neste quadro, a Administração do concelho de Moimenta da Beira, em conjunto com a Câmara Municipal, passou a dispor de livros destinados a arrolar toda a parte administrativa relacionada com o culto religioso do concelho. É possível que a maior parte dos documentos que então se produziram se tenha perdido. Dos que sobreviveram até aos nossos dias destaca-se uma cópia do rol lavrado numa folha do Ministério da Justiça e dos Cultos com os bens requeridos pela comissão encarregue de promover e sustentar o culto católico na freguesia do Sarzedo. Dele constam 13 itens que exararam as propriedades requeridas. A este documento somam-se várias folhas rasgadas presumivelmente de um livro de registo das missas anuais realizadas no concelho. Terão chegado aos paços do concelho, integrando posteriormente o seu Arquivo, em virtude da lei separacionista. Procurava-se, por certo, ter uma noção precisa e exacta das missas que estavam a cargo das Juntas de Paróquia.

O referido documento é precioso pois dá conta de como se processou esta importante mudança no sistema político e religioso de Moimenta da Beira. Pena é que os restantes tenham sido destruídos por mãos ignaras.