segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

«Arqueologia» - Os mitos subterrâneos do Terreiro das Freiras

Administrativamente, sabe-se que o território que neste momento compõe o concelho de Moimenta da Beira esteve dividido, pelo menos a partir da Época Moderna, em oito municípios: Caria, Castelo, Leomil, Moimenta da Beira, Nagosa, Paçô, Peravelha e Sever. Com a fundação dos concelhos e a consequente organização administrativa, política e social edificaram-se Pelourinhos e Casas da Câmara. Do ponto de vista religioso, as comunidades expressaram a sua devoção construindo Conventos, Igrejas, Capelas e Cruzeiros.
Neste panorama enquadra-se perfeitamente o Terreiro das Freiras (freguesia de Moimenta da Beira) e o seu belíssimo conjunto arquitectónico, designadamente: o Convento Beneditino de Nossa Senhora da Purificação (do século XVI, de traça maneirista, barroca e rococó, composto pela igreja com coro, duas sacristias, dormitórios, refeitório, claustros, fontes e uma cerca), o Solar dos Guedes (exemplar de arquitectura civil privada do século XVIII, estilo rococó, que passou a ser uma instituição pública de expansão da Cultura – a Biblioteca Municipal Aquilino Ribeiro), o Solar Correia Alves (edifício do século XVII recuperado para Turismo de Habitação), a Capela de Nossa Senhora do Amparo (provavelmente do século XVI), a Fonte da Pipa (do século XVIII), entre outros edifícios dignos de nota, não esquecendo a presença do antigo Pelourinho.
Certamente um magnífico retrato da época e dos sítios mais agradáveis desta vila, que acrescenta à sua monumentalidade também algum misticismo. Pois, segundo a crença popular, existirão túneis no seu subsolo, inclusive um com ligação ao Convento de São Francisco (freguesia de Rua), pelos quais as freiras do Convento terão fugido às invasões francesas.
Curiosamente, histórias semelhantes têm sido atribuídas a outros conventos do nosso país, nomeadamente ao Palácio/Convento de Mafra. Por exemplo, a mais popular é a da existência de ratazanas enormes nos seus subterrâneos que durante a noite saem para comer tudo aquilo que conseguem apanhar: gatos, cães e até pessoas. Outra é a da existência de um túnel que ligaria este Convento à Ericeira, a cerca de 10 km de distância, pelo qual partiu para o exílio o último rei português, D. Manuel II, em 1910, depois de proclamada a República. Porém, o túnel não passa de Mafra e foi construído para escoar os esgotos do Palácio.

Apesar da dificuldade em determinar ao certo o que está no subsolo do Terreiro das Freiras, sabe-se, contudo, numa primeira análise, que existe um túnel de cantaria, junto à Fonte da Pipa, com aproximadamente 1,50 m de altura e 0,50/1 m de largura (ver imagem). Portanto, convinha desmistificá-lo!

Autor: José Carlos Santos

2 comentários:

Skóskiie disse...

a camara em conjunto com os arqueologos e historiadores de moimenta devia organizar uma expedição ao "tunel" e explorar sua a historia para posteriormente organizar visitas guiadas e pagas ao local. ganhava uns trocos e punha o pessoal do turismo a fazer algo de util para a sociedade.

Júlio Batista disse...

Deviam aproveitar o potêncial das varias histórias, mitos,lendas e monumentos existentes nas aldeias que compõem o concelho de Moimenta da Beira, inclusivé.
Atualmente e cada vez mais o turismo tem que ser direcionado para estes meios, e para isso tem que ser alimentado por todas estas histórias de mistério, magia, etc.