sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

«Destaque» - Dia a Dia (Kit Cat)

Dia a Dia (Kit Cat) -(2009, Edição de Autor)

Este é um momento histórico neste espaço: pela primeira vez comentamos o trabalho de um colectivo oriundo da nossa terra. Sim, já abordamos os Bulldozer que, não sendo de Moimenta da Beira, têm alguns elementos de cá, mas estes Kit Cat são nados e crescidos na nossa vila. E o que dizer deste Dia a Dia e dos Kit Cat? Em primeiro lugar referir que não é todos os dias que uma banda com pouco mais de três anos de existência grava uma demo com doze temas e quase… oitenta minutos de música! Só este facto já era suficiente para nos admirarmos com a capacidade criativa da banda. Mas ainda se torna mais relevante se atendermos que os quatro Kit Cat têm entre… 13 e 15 anos! Quanto a este álbum, puramente demonstrativo do trabalho da banda, inicia-se de forma excelente com o tema Sofrimento Perpétuo I, onde os coros épicos iniciais se transformam num portento do rock/metal progressivo que coloca, desde logo a bitola bem alta. Infelizmente para o jovem colectivo moimentense, esses níveis tão elevados só por mais três vezes são alcançados: em Hora II, Lágrimas e Dia a Dia. A primeira pelo sentimento carregado de negro desde as iniciais badaladas da torre da Igreja (e aqueles la-la-la são soberbos!); o segundo com um fantástico solo final de guitarra muito na linha do que Lanvall faz nos seus Edenbridge; e o tema-título pela fusão que consegue criar entre ambiências bluesy/fado/orientais. Pelo meio os Kit Cat vão desfilando um conjunto de temas bem arranjadinhos, cheios de interessantes melodias com uma assinalável influência pop, com solos bem estruturados e excelentemente executados, mas que pecam pela repetição da mesma fórmula: a alternância entre momentos lentos com a predominância da guitarra limpa com outros mais furiosos, plenos de energia e com a distorção a fazer a sua aparição. Quem também não ajuda muito é a componente lírica onde o uso e abuso de temas como os amores e desamores fica mais próximos de um Tony Carreira que propriamente de uma banda de rock. Por outro lado e não querendo ser cruel, importa referir que a componente vocal é a menos bem conseguida do colectivo. Aconselha-se muito trabalho neste sector, porque com a capacidade criativa, com o talento que já demonstram e com a margem de progressão que ainda têm, os Kit Cat são um nome a ter em conta no futuro do rock feito em português. Mas há aspectos que precisam ser revistos: a voz é, claramente, um deles. Assim como é a gramática (não podem surgir erros de português no folheto do CD, pois não?) e, eventualmente, um nome mais apelativo. Força, rapazes.

Tracklist:
1. Sofrimento Perpétuo I
2. Manhã
3. Amor Sem Sentido
4. Hora II
5. Uma História Escondida
6. Lágrimas
7. Nada a Perder
8. Dia a Dia
9. Rosas de Amor
10. Entre Dois Lados
11. Entre a Espada e a Parede
12. Sofrimento Perpétuo II

Line up: José Diogo Dias (guitarra e voz), Rafael Mendes (guitarra), Filipe Ferreira (baixo), João Pedro Santos (bateria)

Myspace: www.myspace.com/bigkitcat
Edição: Edição de autor (Fonte:http://vianocturna2000.blogspot.com)

3 comentários:

Gonçalo Coelho disse...

Grandes observações por parte de Pedro Carvalho.
Já á algum tempo que tinha a ideia de falar destes Grandes "meninos" que deixam qualquer musico de Moimenta com um orgulho muito grande!!
As criticas menos boas que Pedro Carvalho faz , são verdadeiras, contudo olho para mim com menos 8/9 anos, e então vos digo que estamos perante uns "meninos" com um talento de um tamanho enorme!
Quem me dera a mim ter a idade de um deles e ter sabido metade do que eles sabem.
Então penso desta maneira:
1º - Quem produz todo este trabalho, refiro-me mais à parte de dominio de softwere que permite gravar tudo isto, está de parabéns (aproveito para pedir algumas explicações do funcionamento dos mesmos eheheeh);
2º - Tudo que diz respeito a escolher e elaborar sons, para mim está a roçar a perfeição!
3º - Já os vi mais do que uma vez, e a coisa que mais me impressiona é a dinamica de grupo que eles têm, pá genial, ninguém imagina o que é necessário trabalhar na musica para as coisas sairem bem, aqui cada um sabe o seu lugar e ninguém compromete, brilhante!!!
4º - Acho que estão todos num nivel, muito identico, são todos brilhantes e tratam o seu instrumento por "tu".

Digamos que passei pelo mesmo, e numa primeira fase (o que até faz sentido) todos nós procuravamos, dominar o instrumento na perfeição, ou seja tecnicamente sermos perfeitos! (normal são rapazes de 15 anos senhores)!
Mais tarde eles vão descobrir, que a musica não é só Dream Theater, steve vai, ou satriani, e então vão surgir nomes da musica em que têm uma componente menos tecnica mas cheia de groove e mensagem social, e então quando chegar essa fase vcs verão com os vossos olhos onde vão estar estes rapazes.

De referir aqui mais uma vez os grandes musicos que temos nesta terra (e a grande amizade que existe entre eles), se me permitem dizer, uma das coisas que eu sempre procurei foi observar e pedir ajuda aos grandes musicos que temos na nossa terra!
Quantas tardes não passei em casa do João Paulo Aurélio com ele a ensinar-me coisas, ou mesmo com o Miguel Cristo ou o Quim Zé! Embora eu não escreva canções, porque não pedirem ajuda aos Un-x-pected (que a meu ver são geniais em tudo que diz respeito a letras)!
Meus senhore podem crer que temos grandes musicos na nossa terra, e estes pequenos grandes meninos vão ter um grande futura 90% graças a eles (lógico), mas 10% graças aos musicos da nossa terra, daí todos nós termos a obrigação de sermos amigos deles e de os ajudar, para isso nada melhor do que uma critica brilhante de um vosso amigo chamado Pedro Carvalho, que exactamente por ser vosso amigo vos alerta para alguns (pequeninos) erros!
Tenho a certeza que eles serão grandes, grande abraço do amigo Gonçalo Coelho para os Kit Kat!!

Pedro Carvalho disse...

Viva Gonçalo
A tua opinião é de mestre! Sim de facto os moços têm muito talento e eu sublinho isso na minha review. Mas para ser alguém na música para além de talento é preciso muito trabalho. Acredito que os miúdos trabalhem bem, mas, como dizes, os pequenos pormenores bem menos conseguidos podem ser, de uma maneira fácil, ultrapassados. E ainda bem que referes que quando eu menciono esses pequenos pontos menos positivos é porque realmente os quero ver crescer. Aliás, enquanto critico sempre custa referir algum aspecto menos positivo em qualquer banda do mundo, quanto mais a vizinhos (infelizmente não tenho o prazer de os conhecer pessoalmente). Mas, sinceramente, espero que a banda consiga perceber que eu, acima de tudo, quero que eles evoluam. E sem dúvida que o vão conseguir fazer. Uma baraço para ti Gonçalo e saudações para os Kit-Cat.

15e disse...

Boas, em relação à opinião do Gonçalo não há muito a dizer, é de facto uma opinião de mestre que deixa pouco espaço para algo que fique por dizer. Espero também que não só as críticas do Pedro Carvalho mas todas as críticas inteligentes sejam interpretadas de uma forma construtiva pelos Kit Cat (e tenho a certeza que é o que vai acontecer).

Em relação ao talento e futuro promissor dos Kit Cat já tudo foi dito e, por isso, o meu comentário é mais para reforçar a importância que o Gonçalo dá à relação de amizade que se tem vindo a propagar pelas gerações de músicos no concelho de Moimenta e que assim deve continuar. É isso que ainda hoje nos faz aprender uns com os outros e é essa a única forma de crescer como músico.

Parabéns Kit Cat.
Grande Abraço, Quim-Zé.