quinta-feira, 13 de maio de 2010

Jornal Beirão «1ª Página» - 38ª Edição

Para ampliar, clique na imagem.

5 comentários:

Alex disse...

estou mortinho para ler esta edição, e ver o que tem essas pessoas a dizer acerca deste desfalque público...

manjerico disse...

Desfalque pùblico?
Isto é um DESCALABRO.

E entâo andam a fazer figuras de ricos com os dinheiros pùblicos.

Dizem que fazem isto e aquilo.
È claro,assim tambem eu fazia,com o dinheiro dos outros.
E os 55.000 Euros,para as festas do S.Joâo?

Ê o que està là no jornal,nâo sou eu que invento.

Haja alguma modéstia nos gastos,Senhores Autarcas.
O presidente de uma freguesia do Concelho até jà mudou de carro...
E nâo como o meu,que jà tem 8 anos, È NOVO.
Entâo os autarcas até ganham bem...
À POIS È....
Depois sâo uns coitadinhos,que mal ganham para agasolina quando vâo às reuniôes das Assembleias,eles até nem ganham nada por irem là,vejam o cùmulo....

Isto é de bradar aos céus
Boa noite.
J.A.

NO NAME disse...

55.000 euros para o s.joão ou para as festas do concelho?estas coisas estranhas ccontinuam acontecer porque tem a camara de dar $ as festas de moimenta quando deviam ser as junta de freguesia

Alex disse...

Quando confrontada com a divida, O Sr José Agostinho fala com um distanciamento típico da actividade politica..Depois responsabiliza os sucessivos governos e situações pelas quais TODOS os executivos tiveram que passar, nomeadamente na responsabilização em esgotos, saneamento e afins. A questão é que poucos apresentam uma semelhante divida perante estes intempérios pelo que o poder local passa, devendo-se referir que sem duvida não deviam penalizar os últimos como fazem (nomeadamente transferindo para o poder local custos e responsabilidades, sem estes terem capacidades de gerar receitas próprias para isso).
Vista a entrevista , o que retiramos daqui? Frases feitas, insinuações genéricas a gastos com palavreado camarária para moimentense ver, e nem uma pista acerca dos milhões desperdiçados.
É ridículo ver o principal responsável por esta divida(sim, que ele não pode utilizar o argumento mestre da divida deixada pelos antecessores) nem sequer admitir que houve uma má gestão... E má gestão é um eufemismo para o desperdício de dinheiros públicos que pautaram a gestão camarária... Depois por fim ,a presenta alternativas para resoluçao do porblema...Vi tão poucas tomadas aquando da sua presença!
- "contenção e racionalização nas despesas com pessoal"- Isto deve ser uma piada de mau gosto, ou então um analogia contrária (assim na brincadeira) á corrida ao emprego em ano de eleições.
- "persistente negociação com o governo"- poucas vezes foi visto por Lisboa...
O resto são frases feitas que embatem sempre na lógica da racionalização e capacidade de gerar receitas...é certo que uma autarquia nao foi feita para dar lucro, nem pode dar lucro quando tem a seu cargo despesas publicas e investimentos (ao contrario dos liberais que acham que tudo tem que gerar dinheiro)...Agora desculpabilizar um buraco destes com questão exteriores á autarquia e tapar o sol cam a peneira. Quem criou esta divida foi a autarquia, os vícios e procedimentos da autarquia, as redes em que se viu embrenhada de tal modo em que a razão já pouco contava perante o saque de que foi vitima, formal ou informalmente, "adjudicadamente" ou não.
José Eduardo faz uma declaraçao cautelosa, justificando a divida com uma má gestão e desperdício...e apontado para a má situação financeira da câmara.É certo que a câmara se encontra limitada em virtude dessa gestão danosa, agora espero que o executivo não se esconda atrás disso pois o município tem várias áreas (nomeadamente a cultural, mas também a educativa) que não necessitam necessariamente de um grande investimento financeiro, mas sim de investimento de boa vontade e visão.

fv disse...

Quando as coisas estâo mal,a culpa nunca é nossa,é sempre do antecessor,nâo é?

Neste caso,o Dr.José Agostinho,que tanto tempo esteve à frente de Câmara,deixou que as coisas chegassem a este ponto.

O actual é que tem de descalçar a bota,nâo é?

È claro que agora tem de haver uma gestâo de grande contençâo.
E,jà se sabe que quem està no poder agora,é que terà de o fazer,e nâo é 55.000 Euros para festas,numa altura destas,mas como o povo gosta de festas:
Hà que dar festa ao povo,nâo é?

Uma boa noite para todos
A.Rodrigues